O 1º Prêmio de Jornalismo Afirmativa é uma iniciativa do Coletivo de Mídia Negra Afirmativa, que premiou produções jornalísticas de jovens profissionais e estudantes de comunicação, selecionadas entre os anos de 2016 e 2017, cujo tema foi “A Juventude Negra Comunica o Direito à Vida”.

Na categoria Reportagem foram premiados três textos, e selecionados outros sete para compor este Top 10. A seleção dos textos foi feita, além da equipe Afirmativa, por Rosane Borges, Djamila Ribeiro e Ceres Santos. Tendo em vista o período de produção das matérias, o corpo editorial da revista fez alterações visando atualização e melhor utilização dos textos.

SISTEMA DE EDUCAÇÃO E SEGURANÇA PÚBLICA SUSTENTA VIOLÊNCIA CONTRA A JUVENTUDE NEGRA

Bárbara Anunciação

O Estado brasileiro é permissivo à violência contra a população negra, por meio das estruturas dos setores públicos, com destaque para a segurança e educação. A juventude negra por sua vez, tenta sobreviver às agressões físicas e psicológicas do cotidiano.

TRAJETÓRIAS INTERROMPIDAS:O LUTO E A LUTA DAS MÃES QUE SOBREVIVEM AO GENOCÍDIO

Bruna Rocha

O Brasil não superou as marcas da ditadura militar e da escravidão. De um lado: um modelo de segurança pública militarizado, uma polícia treinada para encarar pretos e pobres como inimigos, territórios devastados pelo crime organizado e pela ausência de políticas públicas, o encarceramento como um negócio, e uma política de drogas fracassada.

MENINAS E JOVENS NEGRAS NO ALVO DO GENOCÍDIO

Danielle Souza

A juventude negra é, de longe, a que mais sofre com a violência no Brasil. Segundo o Mapa da Violência 2016, das 42 mil mortes por armas de fogo no país em 2014, 25 mil eram de jovens, representando mais de 59% dos homicídios anuais. O estudo, elaborado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais – FLASCO, ainda afirma que os jovens negros morrem três vezes mais que os jovens brancos, resultado do aumento de 158% na taxa de vitimização da população negra do país.

MÍDIA, A SUSTENTAÇÃO DO GENOCÍDIO

Pedro Borges

A televisão, o rádio, a internet, o jornal impresso e toda forma de comunicação tem uma forte influência sobre a sociedade contemporânea. Os grandes veículos de comunicação, por meio do conteúdo produzido e divulgado, têm a possibilidade de criticar ou fortalecer as estruturas sociais.

MINHA PALAVRA VALE UM TIRO

Rubian Melo

Como consequência do racismo já enraizado, a bala quando apontada tem destino certo: o jovem negro. Em Salvador os adolescentes entre 13 e 17 anos são uma em cada dez vítimas de homicídios. De acordo com o Atlas da Violência 2018, o número de homicídios dentre a população branca entre 2006 e 2016 caiu 6,8 %, já dentre a população negra aumentou 23,1%.

AS DIVERSAS FORMAS DE VIOLÊNCIAS CONTRA AS MULHERES NEGRAS

Wynne Santana de Carvalho

Atingidas e agredidas pelo sistema patriarcal que rege a sociedade por todos os lados, as mulheres negras buscam artifícios para conseguirem se manter sãs e vivas. Seja pela falta de atendimento adequado nas UPAS e hospitais públicos, seja na falta de oportunidade nos trabalhos e estudos.

DESMILITARIZAÇÃO: UMA PEQUENA REVOLUÇÃO NO BRASIL

Juliana Santos Silveira de Almeida

ão faltam exemplos de práticas antidemocráticas e racistas por parte da Polícia Militar do Brasil. O suspeito padrão da PM aqui é o jovem pobre e negro. O verso “a carne mais barata do mercado é a carne negra” diz muito de um país racista considerado democrático. É o mito da democracia racial.

O QUE HÁ POR TRÁS DAS GRADES

Pedro Henrique Sousa dos Santos Lopes

O sistema carcerário brasileiro é contornado pela ineficiência baseada no racismo estrutural. Alimentado pelo punitivismo de promotores e juízes justiceiros brancos, somado a seletividade da justiça e sustentado por pequenos delitos. No Brasil, se prende primeiro, pergunta depois. E com isso temos 40% de presos provisórios, pessoas encarceradas sem sequer terem sido julgadas.

É O PODER

Lorena Carneiro Almeida Andrade

“Essa onda de cantar pra mim é novo, tá ligado? Eu comecei com a intenção de expor algumas coisas que tavam me incomodando. Uma delas é que a maior parte da galera que cresceu comigo já não tá mais aqui entre a gente. Quando percebi, já tinham várias músicas escritas.” É com esse depoimento que Cilas Lessa inicia sua canção “Minha Conduta”.

A ARTE, A DOR, O MEDO E A COR: COMO A VIOLÊNCIA ESTIMULA A MANIFESTAÇÃO ARTÍSTICA

Gustavo Vieira Nascimento

Thiago, Wesller e Eduardo nunca se conheceram. Talvez, dois deles ainda viverão essa experiência no futuro. O terceiro não terá essa oportunidade – Eduardo foi assassinado. Os três chegaram a morar no mesmo solo, na cidade de Toledo, localizada na região oeste do Paraná.

Equipe Afirmativa

A Revista Afirmativa chega para somar. Dar opinião e ser canal de opinião, dos silenciados pela grande mídia, a tradicional, a hegemônica. Somo mais um horizonte afirmativo para o jornalismo da diversidade e do direito à informação. Somos a Juventude Negra Voz Ativa! Há de ter mais verdade, humanidade e poesia nos jornais… Nós acreditamos!

Nossas redes sociais

Fique sempre por dentro dos conteúdos da Revista Afirmativa nas redes socais