Por Caroline Pires/Ascom

Nesta sexta-feira, 24/04, o Conselho Universitário da UFG aprovou resolução para estabelecimento de cotas raciais e ações afirmativas para todos os programas de pós-graduação ‘stricto sensu’ da UFG. Serão reservadas 20% das vagas oferecidas para pretos, pardos e indígenas. A minuta do documento foi elaborada por uma comissão de docentes da UFG. A resolução já está em vigor e terá vigência pelo prazo de 10 anos, podendo ser prorrogada após futura avaliação.

As coordenações dos programas de pós-graduação terão liberdade para definir critérios específicos para o ingresso dos alunos, considerando as especificidades das áreas do conhecimento e as diretrizes do órgão federal de avaliação e acompanhamento.

A resolução aprovada permite ainda que as Coordenadorias dos Programas de Pós-Graduação definam atividades complementares para aumentar ao máximo as possibilidades de permanência de alunos que ingressarem pelo sistema de cotas em seu corpo discente, realizando um acompanhamento contínuo das atividades nos programas.

Confira a resolução completa.

Ações Afirmativas

A UFG adota desde 2008 ações afirmativas com o objetivo de reparar ou compensar desigualdades sociais e preconceitos ou discriminações de raça, entendendo a adoção destas políticas como princípios constitucionais.

Por meio do UFGInclui, são reservadas vagas para estudantes oriundos de escolas públicas, negros, indígenas e negros quilombolas além de medidas para garantir sua permanência na Instituição.