Da Redação 

Nesta segunda-feira (04), se iniciou o Acampamento Terra Livre (ATL), o movimento une, em Brasília (DF), os povos Kayapó, Munduruku e Yanomami contra a invasão das terras indígenas. A décima oitava edição do movimento se concentrará até o dia 14 na Esplanada dos Ministérios 

Segundo o Coordenador executivo da Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil), o Executivo se nega a cumprir a demarcação das terras indígenas e o acampamento busca não só destravar esses processos, como também expor a colaboração do governo nessa atitude de paralisação.

Os organizadores estimam que 7 mil pessoas participarão das cerimônias e debates do movimento. “Voltamos a ocupar a Esplanada e a pintar Brasília de urucum e jenipapo”, disse, esta manhã, a integrante da coordenação executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Sônia Guajajara.

Sônia também explica que a organização planeja inserir seu povo em posições políticas para garantir representatividade na Câmara, “A Apib está lançando uma bancada indígena para também entrar na disputa eleitoral. Vamos estar com esta bancada; com as mulheres indígenas, porque estamos querendo garantir nossa representatividade política nos espaços da política institucional”, contou.