Estudantes da UNIG foram banidos da cidade e a prefeitura ainda multou a instituição de ensino do campus de Itaperuna (RJ)

Por Daiane Oliveira

“Ei! Eu sou playboy! Não tenho culpa se seu pai é motoboy.” Assim, os alunos de medicina da Faculdade Iguaçu (UNIG), campus Itaperuna no Rio de Janeiro, cantavam durante os jogos universitários de medicina em Vassouras (RJ). Em vídeo publicado por uma aluna da instituição, os torcedores ainda completavam gritando “meu dinheiro não acaba” logo após o canto ofensivo.

O canto classista foi entoado durante o “Intermed”, torneio que reúne universidades do Rio de Janeiro e Espírito Santo. O prefeito de Vassouras, Severino Dias (DEM), por meio de um vídeo publicado em sua rede social, informou que se reuniu com organizadores e os responsáveis da universidade onde os mesmos estão cientes de que a torcida não pode participar dos demais jogos.

“Punimos também financeiramente e vamos reverter o recurso da multa para sortear uma moto entre os motoboys. Eu como prefeito fico triste que o maior evento esportivo universitário da América do Sul, ganhe destaque por algo tão negativo. Vassouras não é isso!”, finaliza Severino Dias.

A Intermed se manifestou nesta quarta-feira (12), três dias após o ocorrido, para dizer que desaprova “qualquer ato de discriminação, preconceito e violência, seja ela física ou verbal” e que a organização adotou medidas disciplinares para que casos assim não se repitam apontando que houve expulsão de toda a torcida da faculdade, criação de um comitê para avaliar os gritos das torcidas.

“Medidas disciplinares que serão aplicadas em eventuais novos casos” e “A faculdade doará uma motocicleta à prefeitura da cidade de Vassouras”, diz a nota. Sendo que, segundo o prefeito Severino Dias o valor para compra das motocicletas não é oriundo de doação, mas sim uma multa.

A UNIG, através de nota, diz que “não tem ingerência sobre cânticos ou gritos de guerra entoados pelos alunos, principalmente em ambiente externo”. Já o Diretório Acadêmico Renam Catharina Tinoco (DARCT), representação estudantil da universidade, também em nota, informa que não compactuam com a atitude do que definiram como ser de “alguns alunos” e tais medidas não representam os demais. O diretório acadêmico ainda informa que “medidas necessárias para que isso não se repita foram tomadas.”

Os jogos universitários “Intermed” acontecem em diferentes partes do Brasil com representações esportivas de cursos de medicina. O curso de Medicina na UNIG custa mensalmente aos estudantes R$ 10.585,00. Até o momento, os responsáveis pela Intermed não se manifestaram.