O cantor foi chamado de macaco pelo público do evento para associados e convidados do Grêmio Náutico União

Imagem: Reprodução Instagram

Na última sexta-feira (14), o ator e cantor Seu Jorge fez show no Grêmio Náutico União, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul (RS). O artista foi contratado para realizar um show em comemoração à reinauguração do Salão União, no entanto o evento foi marcado pela denúncia de racismo e xingamentos.

Segundo relatos nas redes sociais, uma parte do público pediu que o artista cantasse mais uma música quando outros espectadores começaram a imitar um som e gestos que lembram um macaco. Segundo testemunhas, ainda foi possível ouvir pessoas na plateia gritando “negro vagabundo” e “safado”.

“Começaram a gritar ‘mais um, mais um’, mas, logo em seguida, alguns sons de ‘uh, uh’. Primeiro, eu pensei que estavam vaiando. E já parecia estranho pra mim uma pessoa num show começar a vaiar. Depois, eu vi que eram movimentos de macaco. Cheguei a ouvir ‘negro vagabundo, vagabundo’ e, depois, pessoas gritando ‘mito, mito'”, disse uma testemunha que não quis se identificar ao G1.

Nesta segunda-feira (17), a Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o crime de racismo. Em nota, o Clube Grêmio Náutico União afirma que “se for comprovada a prática de ato racista, os envolvidos serão responsabilizados” e que “o União, seguindo seu Estatuto e compromisso com associados e sociedade, repudia qualquer tipo de discriminação.”

O Clube ainda informa que no evento haviam associados e não associados e a escolha do artista teve base na sua representatividade cultural. “Ressaltamos que Seu Jorge foi o artista escolhido para realizar o show com a presença de associados e não associados do Clube considerando sua representatividade na cultura nacional e pelo reconhecimento internacional, e destacamos nosso respeito ao profissional e a seu trabalho”, diz a nota.