Durante live no canal da Sepromi no YouTube, responsáveis pelo órgão apresentaram detalhes do edital, orientaram sobre a elaboração dos projetos e tiraram dúvidas

Por Andressa Franco

Imagem: Reprodução

Segue aberto até o dia 12 de setembro o prazo de inscrições de projetos no Edital da Década Afrodescendente, lançado no dia 13 de agosto pelo Governo do Estado através da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi). A iniciativa está em sintonia com as estratégias estabelecidas para o enfrentamento da pandemia de Covid-19. A chamada pública conta com investimento total de R$ 3 milhões.   

De acordo com a nota da Secretaria, os recursos financeiros são apontados pelo Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa, com previsão de contemplar até 60 projetos com valor máximo de R$ 50 mil.

O edital visa selecionar propostas voltadas à prevenção e enfrentamento impactos da pandemia de covid-19 e que promovam sustentabilidade e geração de renda para a população negra e segmentos dos povos e comunidades tradicionais.

Serão selecionados projetos nas modalidades: Práticas Empreendedoras Solidárias, visando apoiar segmentos como baianas de acarajé, cadeias produtivas de licores, derivados da mandioca, dentre outras dos segmentos tradicionais; além de Assessoria Técnica e Distribuição de Insumos, com apoio às práticas de produção de alimentos para subsistência dos segmentos tradicionais, através do estimulo ao plantio, aquisição e distribuição de insumos.

No dia 19, foi promovida uma live no canal da Sepromi no YouTube para apresentar os detalhes do edital, orientar sobre a elaboração dos projetos e tirar dúvidas. Participam a titular da Sepromi, Fabya Reis, as coordenadoras executivas Lucy Góes e Roberta Nascimento, além do presidente da Comissão de Seleção de Projetos, José Leal.

“Estamos sensíveis ao momento muito difícil que a nossa população está passando, nós sabemos que a pandemia só fez agravar a situação de desigualdades que se encontram os povos e comunidades tradicionais e a população negra de modo geral”, declarou Góes “Por isso, nós alertamos da importância de haver um atendimento principalmente às mulheres negras, à juventude negra e aos povos e comunidades tradicionais, que são os públicos prioritários da Sepromi, quando vocês apresentarem os projetos”, completou.  

As propostas devem ser apresentadas exclusivamente por organizações da sociedade civil, através do e-mail: proposta.edital2021@sepromi.ba.gov.br. A íntegra do edital e seus anexos podem ser acessados aqui.