A coordenadora envolvida no caso foi afastada e a ação do aluno foi registrada como dano ao patrimônio público, resistência a prisão e desacato

Por Patrícia Rosa

Um estudante de 17 anos, da rede estadual de São Paulo, foi alvo de uma abordagem violenta dentro da escola que estuda. O aluno foi imobilizado por dois policiais, que o jogam no chão, um dos agentes sustenta  um dos joelhos nas costas dos meninos, que grita: “Está me sufocando, eu não sou bandido senhor”. O agente deixa de apoiar o joelho nas costas do jovem, que é retirado da escola algemado.

A situação aconteceu na última terça-feira (06), na Escola Estadual Manuel Bandeira. Outros alunos assistiam a abordagem e se revoltaram com a ação: “Olha isso aí, ele é aluno, ninguém mais deveria voltar pra sala”, diz um dos estudantes.

No dia anterior o estudante teria quebrado o lacre do extintor de incêndio e espalhado água pela escola. Para  voltar a assistir às aulas ele deveria retornar a escola com um responsável. A Secretaria de Educação e a Secretaria de Segurança Pública se pronunciaram por uma nota conjunta:

“A polícia foi solicitada pela coordenadora,  que relatou que um aluno havia causado danos no estabelecimento no dia anterior e não cumpriu a regra escolar, de comparecer com um responsável”, declarou a pasta.

Ainda foi declarado que  a coordenadora ligou para a mãe do menor, que teria dito que não compareceria a escola e que a funcionária chamasse a polícia.

A Secretaria de Educação lamentou o ocorrido e declarou que abriu uma apuração da conduta da gestão da instituição. A coordenadora envolvida no caso foi afastada das funções. O jovem foi levado para a delegacia, foi ouvido e liberado.