O homem de 32 anos gritava de dor e foi levado em uma posição “pau de arara”, uma prática escravagista

Por Patrícia Rosa

Imagem: Reprodução

A Justiça de São Paulo decretou a prisão ´preventiva do homem negro, de 32 anos, que foi amarrado por uma corda pelos pés e mãos e carregado na posição “pau de arara” por políciais em  São Paulo (SP). A ação aconteceu na madrugada da última segunda -feira (05), o homem, que não teve o nome identificado, foi apontado como suspeito de furtar um supermercado com um outro e um adolescente de 15 anos.

A ação da polícia foi registrada em um vídeo, onde é possível ouvir o homem gritar de dor. Ele saía de uma Unidade de Pronto Atendimento – UPA, para onde foi levado para um atendimento médico, na saída do local ele aparece sendo carregado pela corda e pela  camisa, em seguida colocado em uma maca e jogado na viatura. O homem que gravou a ação declarou para jornal O GLOBO que foi intimidado por um dos agentes. O autor do vídeo, que não teve o nome divulgado, foi obrigado a ir depor na delegacia.

“Eu  estava na UPA acompanhando uma pessoa. Ele[o policial], fez uma ligação e me intimida, diz que é para eu ir à delegacia como testemunha. ‘Você vai por bem ou por mal’”. O homem descreveu a ação da polícia como uma barbaridade. “Furtou apenas duas caixas de bombom e foi tratado que nem um animal. Nem animal a gente trata assim”, declarou o homem.

De acordo com o boletim de ocorrência,  o supermercado foi furtado por volta de 23 horas do domingo, um funcionário da loja descreveu o suspeito pelas vestimentas, a PM encontrou o rapaz em uma rua próxima.

A polícia declarou por nota que os policiais envolvidos na ação foram afastados das funções e que um inquérito foi aberto para apurar a conduta dos agentes. Sobre a abordagem violenta, foi justificado que o suspeito não obedeceu a ordem de sentar, ameaçou correr e por isso foi necessário uso da força para algemá-lo. No vídeo é possível ver o homem sozinho e cercado por quatro policiais.

O homem foi preso em flagrante por furto. A audiência de custódia aconteceu na última segunda-feira e a prisão foi convertida para preventiva.