Por Patrícia Rosa

Imagem: Reprodução/SRT-BA

Auditores fiscais da Superintendência Regional do Trabalho (SRT-BA), resgataram 5 adolescentes que viviam em situação de trabalho análogalo à escravidão, no alojamento do Esporte Clube Jacobinense, no bairro de Cajazeiras, em Salvador (BA).

Na ação que aconteceu no último domingo (12), os auditores apuraram as condições de trabalho dos jovens atletas. De acordo com o órgão o alojamento estava em situação precária e os garotos mantidos presos, sem cuidados médicos e  com  alimentação inadequada. As idades dos jovens não foram divulgadas, eles não tinham acesso a direitos como, contratos de atleta em formação,   pagamento da bolsa auxílio e não eram matriculados na escola.

O Jacobinense é gerido pelo ex-deputado estadual Marcos Manassés, a defesa do time  pronunciou através de nota,  negando vínculo com os atletas. “Em momento algum foi comprovado pela SRT que existisse qualquer tipo de relação contratual com os referidos jovens. O clube esclarece que não possui em seu quadro de funcionários nenhum colaborador menor de idade”. 

As condições de trabalho dos adolescentes passaram a ser investigadas, após  o técnico de futebol do Jacobinense ter a prisão decretada temporariamente, acusado de abuso sexual contra adolescentes do centro de treinamento. O suspeito não tinha documentação necessária para exercer a profissão de treinador.