Texto e Imagem: Divulgação

A organização social Blogueiras Negras lançou neste mês de janeiro a sua publicação “9 anos Registrando Mulheres Negras”, um material comemorativo aos seus 9 anos de história e existência. Pautando as demandas sociais das mulheres negras a partir de assuntos como feminismo negro, comunicação, tecnologia, autonomia e memória, as Blogueiras Negras nascem em 2012, a partir do blog Blogagem Coletiva Mulher Negra, para promover e incentivar a produção de conteúdo das mulheres negras. 

A publicação conta com nove textos integrais, escritos um em cada ano, junto com nove outros textos com trechos selecionados. Conteúdos que trazem a crônica de como o movimento de mulheres negras estava aproveitando a internet durante esses últimos nove anos. Os textos são retratos de um tempo e foram escritos pelas mãos de mulheres e foram publicados inicialmente em blogueirasnegras.org. 

A publicação conta com organização da equipe interna das Blogueiras Negras, composta por Charô Nunes, Ilka Guedes, Jéssica Ipólito, Larissa Santiago, Nise Santos, Viviane Gomes, Yaomim Sampaio, Dayvson Bruno e Wellington Silva; além de contar com apoio da Fundação Heinrich Boell e Odara Instituto da Mulher Negra. “O intuito dessa publicação é reverberar a importância da escrita das mulheres negras e, ao mesmo tempo, destacar o nosso legado e a nossa história junto ao movimento de mulheres negras. Estamos trabalhando e aprimorando os nossos processos internos para publicar cada vez mais textos em parceria com as autoras”, pontua uma das coordenadoras das Blogueiras Negras, Viviane Gomes. 

Entre as autoras estão a Mestra em Sociologia e fundadora do projeto Preta Acadêmica, Eliane Oliveira; a Design Visual e Ilustradora, Gabriela Pires; a Doutoranda em Sociology and Social Polices, Katucha Bento; a Publicitaria e Coordenadora das Blogueiras Negras, Larissa Santiago; a Mestra em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo, Gabriela Monteiro; a Cineasta Periférica e Coordenadora da Rede Tumulto, Yane Mendes; a Mestra em Estudos Literários e Fundadora da Articulação Literária Nacional Pretas das Letras, Juliana Sankofa; e uma autora anonima. 

Outras mulheres são citadas durante a publicação, como a Líder Quilombola e Poeta, Eli Theodoro; a Pedagoga, Maria Clara Araújo; a Doutoranda em Sociologia, Winnie Bueno; a Produtora Cultural e Articuladora Política, Ingrid Farias; e a

Escritora; Aline Djokic. Autoras que serviram e servem de referência para a produção epistêmica de todas as mulheres negras. Uma movimentação que prepara o terreno para o que vem em 2022 com os 10 anos das Blogueiras Negras. 

Atualmente coordenada por Charô Nunes, Larissa Santiago e Viviane Gomes, a organização Blogueiras Negras se propõe a publicar textos de mulheres negras que desejem contar suas estórias ou abordar suas visões de mundo sobre variados temas. Ao todo, 400 autoras fazem parte da rede de autoras das Blogueiras Negras e mais de 1300 textos já foram publicados no site da organização. Um marco na elaboração de possibilidades no campo do feminismo negro, principalmente por ser uma iniciativa que acolhe diversas perspectivas de mundo. “Blogueiras Negras é um movimento transgressor e uma escola para várias mulheres negras que estão se descobrindo enquanto mulheres negras e criadoras de narrativas.”, destaca a ciberativista negra Thiane Neves, uma das autoras que fazem parte da comunidade de Blogueiras Negras. 

Para quem se interessar, a publicação pode ser baixada de forma gratuita no site blogueirasnegras.org. Lá também é possível ler diversos outros textos publicados ao longo destes 9 anos de existência da organização e ter acesso às informações sobre como publicar no site.

 
Baixe Aqui o Livro