Jonas Pinheiro

O novo coronavírus tem alterado drasticamente o modo de vida social de todo mundo e gerado uma crise global no capitalismo. Dentro de um sistema desigual às pessoas mais pobres são as que mais irão sofrer com a quebra da economia e com as medidas de distanciamento social. É o que tem acontecido com os catadores e catadoras de materiais recicláveis da Região Metropolitana de Salvador e com outros trabalhadores autônomos, que foram obrigados a parar suas atividades e fonte de sustento devido a Covid-19.

Pensando nisto o Centro de Arte e Meio Ambiente (CAMA) junto a Central das Cooperativas de Trabalho de Reciclagem da Bahia, ao Fórum Estadual Lixo e Cidadania e outros apoiadores decidiram lançar a campanha de financiamento coletivo para atender 312 catadoras (es) de material reciclável de 13 cooperativas da Região Metropolitana de Salvador. O objetivo é arrecadar R$ 171.312,96 para distribuir entre os trabalhadores (as), o valor corresponde a: uma cesta básica + material de higiene (R$ 318,00) e a um valor emergencial para contas (R$ 200,00), somando R$ 518, 00 para cada catador(a).

“Uma iniciativa dessa é importante para não deixar essas pessoas sem aquilo que elas precisam minimamente para sobreviver” declara Joilson Santana, catador de material reciclável formado em administração e membro do CAMA. Ele enfatiza que a campanha é um chamado à sociedade civil em geral para auxiliar estas trabalhadoras e trabalhadores que estão impedidos de fazer suas atividades devido à pandemia do coronavírus. “Mesmo sabendo que existem algumas ações do ponto de vista do poder público para atender a demanda destes trabalhadores e de outros a gente ainda não sabe quando e como isto irá acontecer”, complementa.

Nesta segunda-feira o Senado Federal aprovou o projeto de auxílio emergencial no valor de R$ 600,00 para trabalhadores informais de baixa renda (PL 1.066/2020), o projeto agora aguarda sanção do presidente. O beneficio será destinado a maiores de idade sem emprego formal, mas que estão na condição de trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI) ou contribuintes da Previdência Social. O Projeto de Lei prever ainda que o auxílio ficará limitado a dois membros da família, podendo atingir no máximo R$ 1.200. Inicialmente a medida vai durar três meses, podendo ser prorrogada.

Enquanto a lei não é sancionada as catadoras e catadores de materiais recicláveis permanecem sem trabalhar e sem renda.

CLIQUE AQUI PARA AJUDAR