Nesta quarta-feira (2), artistas, militantes, ativistas, advogados e familiares se unem em uma campanha para amplificar a voz de Mirtes Renata Souza, mãe do menino Miguel. Entre as integrantes da campanha estão Lia de Itamaracá, Erika Januza, Mariana Ximenes e Angélica. Elas participam de um vídeo usando blusas com frases ditas por Mirtes.

Miguel morreu no dia 2 de junho após cair do nono andar de um prédio em Recife. A ex-patroa da mãe dele, Sarí Corte Real, foi indiciada por abandono de incapaz seguido de morte. Há o temor de que o poder financeiro e a influência política de Sarí influenciem no julgamento do caso.

“A fala de Mirtes precisa ser ouvida. Ela quer Justiça por amor ao filho. Essa narrativa tem o poder de mover as estruturas”, destaca a artista plástica Mana Bernardes. Ela é responsável pela concepção artística da camiseta usada pelas artistas (caligrafia e cores – azul cobalto e branco – que remetem à fé católica da família de Miguel).

 

”Muito grata a todos que estão participando da campanha, que vai fortalecer a nossa batalha e nossa busca de Justiça por Miguel”, afirma Mirtes, que na semana passada sofreu ataques virtuais por conta de ação cível em que pede indenização da família Corte Real.

O vídeo da campanha será disponibilizado nas redes sociais e foi realizado conjuntamente pela Articulação Negra de Pernambuco, Mana Bernardes e a família de Miguel, em parceria com o Gabinete Assessoria Jurídica Organizações Populares (Gajop), o Coletivo Negritude do Audiovisual em Pernambuco e outros movimentos sociais.

“A forma como a vida de Miguel foi ceifada é mais um exemplo das consequências das profundas desigualdades que marcam o Brasil. Todas as pessoas precisam pensar sobre isso e se posicionar”, defende Mônica Oliveira, da Articulação Negra de Pernambuco (Anepe).

Nesta quarta, às 18h, o facebook da Anepe transmite uma live de lançamento da campanha com a participação de Mirtes e apoiadores.