Karine Jean-Pierre é formada pela Universidade de Columbia e participou da campanha presidencial de Barack Obama em 2008

Da Redação

Imagem: Michael Brochstein

A partir da próxima sexta-feira (13), Karine Jean-Pierre, de 44 anos, assumirá o cargo de secretária de imprensa da Casa Branca, a residência oficial da presidência dos Estados Unidos. Karine substitui Jen Psaki, de quem foi adjunta, e se torna a primeira mulher negra e lésbica a ocupar a posição.

O anúncio e a nomeação foram feitas pelo presidente norte-americano Joe Biden na última quinta-feira (5). Jean-Pierre trabalhou na campanha de Biden, e também já havia participado da campanha presidencial de Barack Obama em 2008, continuando a trabalhar com ele depois de eleito, também na Casa Branca.

“Karine não apenas traz a experiência, o talento e a integridade necessários para este trabalho difícil, mas ela continuará a liderar a comunicação sobre o trabalho do governo Biden-Harris em nome do povo americano”, disse Biden em comunicado.

Nascida em Martinica, ilha que faz parte das Pequenas Antilhas, no Caribe, a nova secretária de imprensa da Casa Branca é filha de pais de origem haitiana, e casada com a correspondente nacional da CNN, Suzanne Malveaux, com quem adotou uma filha. Antes de se tornar ativista social e política, Karine se formou em Relações Públicas e Internacionais na prestigiosa Universidade de Columbia, em Nova York.

Após a reeleição de Obama, em 2012, começou a dar aulas em Columbia, se tornou analista de política na televisão e porta-voz de um movimento de apoio a candidatos progressistas. Em maio passado, Karine se tornou a segunda mulher negra na história a realizar a coletiva de imprensa diária. Ela atuou na equipe sênior de comunicação da Casa Branca desde que Biden assumiu o cargo e antes disso foi conselheira de sua campanha e chefe de gabinete da agora vice-presidente Kamala Harris.