Lili estava com a filha de 14 anos e voltava do aeroporto, por volta de 23 horas.

Da Redação

Imagem: Reprodução IG 

A chefe de cozinha baiana, Lili Almeida, denunciou nas suas redes sociais na última quarta-feira (26) que foi vítima de uma abordagem policial violenta e racista, em Salvador (BA). Ela relatou que estava junto com a filha de 14 anos, e voltava durante a noite do aeroporto de Salvador, em um carro de aplicativo e teve o veículo parado. A vítima contou emocionada que foi  xingada,  humilhada e teve a arma apontada pra cabeça.

“Me vi em uma situação com a arma apontada para minha cabeça e isso é totalmente desnecessário, por estar do lado da minha casa e estava com minha filha, e sou trabalhadora. No dia que aconteceu, foi 11 horas da noite e eu tinha acordado às seis da manhã para trabalhar, eu fiquei muito triste por eu perceber que ele me tratou assim por eu ser uma mulher preta  “, contou.

O tratamento agressivo seguiu, a chefe de cozinha teria informado para o policial que estava com uma criança no carro. “Me puxou e me levou para frente do carro para me mostrar que eu tinha que ficar mais atenta, pois segundo o policial, enquanto eu estava em casa me divertindo ele estava na pista cuidando de mim, eu não tenho nada haver com isso, eu não fiz nada”, disse a vítima.

A  Polícia Militar informou para o Portal G1, que as ações realizadas pelos agentes da corporação são baseadas em técnicas e táticas de policiamento, com observação aos princípios de legalidade.