O menino de 10 anos foi abordado pelo segurança para que se retirasse do local

Por Anna Julia Fagundes

Imagem: Reprodução

Na última sexta-feira (25), mais um caso de racismo foi registrado na zona oeste de São Paulo (SP). A mãe de um menino negro de 10 anos revelou que um segurança pediu para que seu filho se retirasse de uma doceria do centro comercial de Perdizes (imagem de destaque) por importunar os clientes. 

A mãe da criança, que é branca, afirma que esperava dentro da doceria a criança sair de uma consulta médica, entretanto, quando o garoto chegou à loja o segurança da empresa Instant Center o abordou.

Em uma entrevista ao SPTV, da Rede Globo, a mãe contou que o contratado nem pensou em compreender a situação antes de tomar tal atitude: “Ele não se deu o trabalho de saber o que era. Em nenhum momento passou pela cabeça do segurança que era meu filho”.

Em seu relato, o garoto explicou não ter entendido o motivo da abordagem e ter se sentido mal com o ocorrido: Eu pensei: ‘eu sou tão ruim assim para pessoa me tirar?’. Eu me senti meio mal. Eu tenho direito, nem todo negro é ladrão” contou a vítima.

O segurança se justificou alegando que comportamento está dentro das regras do estabelecimento, e que não sabia que os clientes eram mãe e filho.

A doceria, então, emitiu uma nota se posicionando contra qualquer tipo de  discriminação, preconceito e violência”.