Texto : Divulgação

Imagem: Cabocla Produções

Por trás de todo sincretismo e dos rituais do Candomblé, há um comércio forte,  que movimenta a economia baiana e ajuda no sustento de várias famílias. Este  é o principal foco do documentário “A Viagem dos Búzios”, desenvolvido pela  roteirista Rúbia de Oliveira. O filme chama a atenção sobre a importância econômica do  Candomblé para diversos municípios da Bahia e de outros estados brasileiros. 

O projeto, selecionado pela Secretaria Estadual da Cultura, terá 72 minutos e  está em fase de roteirização. O ineditismo do longa-metragem também é  essencial para chamar a atenção ao papel social da religião afro. Por meio  desse mercado, muitas famílias conseguiram sustentar seus filhos, manter as  contas da casa em dia e muitas outras conquistas. Isso é possível por meio da  comercialização do acarajé, da coleta e venda de búzios, da confecção de  roupas e fabricação de adereços, além da comercialização de objetos  utilizados durante os rituais religiosos. 

“A Viagem dos Búzios” vai trazer uma visão objetiva sobre os trabalhadores  desta indústria que cresce vertiginosamente e que envolve contradições e  questionamentos. Desconstruindo o mito da democracia racial brasileira, os  objetos, adereços e roupas usados nas celebrações religiosas, antes  fabricados em pequenos ateliers, passaram a ser produzidos em larga escala e  ganharam as ruas”, explica Rúbia de Oliveira. 

Segundo a roteirista, a “A Viagem dos Búzios” vai investigar a origem,  fabricação e distribuição dos produtos da religião de matriz africana e o seu  destino final. O objetivo é pontuar sobre o quesito comportamental do mercado  e a importância do aglomerado na renda, produtos e serviços por meio de  entrevistas de antropólogos, historiadores, sociólogos, líderes religiosos,  adeptos da religião, comerciantes e pessoas comuns. Além de religião, o  Candomblé passou a ser uma atividade econômica rentável para centenas de  famílias ao redor do mundo. 

O documentário também quer mostrar que não são apenas os adeptos do culto do Candomblé que se beneficiam financeiramente da religião ou que costumam  adquirir objetos de decoração ou adereços da religião.  

O longa ainda não tem data de lançamento, mas já está na fase de  pesquisa e de roteiro. 

A Viagem dos Búzios recebeu tutoria e consultoria de desenvolvimento de  roteiro no âmbito da Usina do Drama (https://usina.estacaododrama.com.br/) – Projeto de Formação de Roteiristas.

Ellas Comunicação ellascomunicacao.com.br 71 9.9952-5596 

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de  Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc  Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do  Ministério do Turismo, Governo Federal.