Luiza Brito sofreu ofensas racistas, agressões físicas e teve o celular jogado no chão. A agressora pagou fiança e responde em liberdade

Por Patrícia Rosa

Imagem: Reprodução Twitter

Li Chen, de 48 anos, dona de uma loja de bijuterias foi presa em flagrante ao cometer atos racistas contra uma cliente na última quarta-feira(21). A vítima  é Laura  Brito dos Santos Viana, de 28 anos, uma mulher negra, que foi ao estabelecimento comprar um anel para o marido quando foi seguida e agredida verbalmente  e fisicamente pela comerciante.

“Eu entrei na loja e ela começou a me perseguir. Perguntei se ela precisava de algo e ela continuou a me seguir. Eu virei e disse para ela que tinha dinheiro para comprar. Ela falou: Eu não quero gente da sua laia , neguinha, essa negada aqui dentro.Ela me deu dois tapas e jogou meu celular no chão”, relatou Laura ao Portal Uol.

A sequência de violências continuou, a cliente ainda contou que a dona do estabelecimento tentou jogar a garrafa de álcool nela em meio a xingamentos. “Eu comecei a pedir ajuda, graças a Deus me ajudaram. Eu só fui comprar um anel e não fiz nada de errado, desabafou.

Um vídeo mostra,  testemunhas cobrando explicações da empresária, e a reação da vítima a violência.  A polícia foi acionada, a gravação mostra o momento da  prisão em flagrante da agressora, que foi levada para a 12º Departamento de Polícia de Copacabana. A queixa foi registrada como crime de injúria racial. Li Chen responde o processo em liberdade, ela pagou a fiança de R$1,5 mil reais.