Na última quinta-feira (18), a Justiça dos Estados Unidos inocentou dois homens condenados pela morte do ativista

Por Andressa Franco

Imagem: Reprodução

Malikah Shabazz, uma das seis filhas do ativista norte-americano Malcom X, foi entrada morta em sua casa no Brooklyn, Nova York (EUA) na última segunda-feira (22). Malcom X foi assassinado em 1965 e é considerado referência na luta pelos direitos civis da população negra americana e mundial.

Malikah tinha 56 anos e foi encontrada inconsciente por sua filha. De acordo com as autoridades, a morte parece ter sido por causas naturais, já que o local não apresenta indícios de invasão.

Por meio das redes sociais, a filha de Martin Luther King, Bernice King, desejou forças à família. “Estou profundamente triste com a morte de #MalikahShabazz. Meu coração vai para a família dela, os descendentes da Dra. Betty Shabazz e Malcolm X. A Dra. Shabazz estava grávida de Malikah e de sua irmã gêmea, Malaak, quando o irmão Malcolm foi assassinado. Fique em paz, Malikah”, escreveu.

Na última quinta-feira (18), a Justiça dos Estados Unidos inocentou dois homens condenados 55 anos atrás pela morte de Malcolm X. O assassinato do ativista aconteceu em Nova York, diante de centenas de pessoas enquanto ele se preparava para discursar. O assassino, Mujahid Abdul Halim, foi preso no local.

Duas semanas depois, a polícia prendeu Muhammed Aziz e Khalil Islam. E apesar de Halim ter confessado, os dois homens inocentes foram condenados, sem ter nenhuma relação com o crime. Nos anos 1980, chegaram a ser soltos, mas apenas agora a sentença foi formalmente anulada. Azis tem hoje 83 anos, e Islam morreu em 2009.