Instituto dos Arquitetos do Brasil promove concurso internacional para arquitetos negros

O concurso selecionará a melhor solução técnica para a implementação do Centro Cultural Rio-África

Da Redação

Com inscrições abertas, o concurso internacional organizado pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil vai selecionar profissionais negros para construção do novo Centro Cultural Rio-África, na região da Pequena África e do Cais do Valongo, Zona Portuária da cidade carioca. As inscrições vão até o dia  30 de agosto e o envio das propostas até 30 de setembro. A iniciativa é uma parceria com a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, através da Companhia Carioca de Parcerias e Investimento (CCPAR). 

“O Cais do Valongo é um espaço de história e resistência do povo negro carioca e nada mais justo que realizar esse concurso voltado para os arquitetos negros e negras. Direcionar dessa forma é oportunizar a esses profissionais a realização de um projeto que reflete, de certa forma, o passado de cada uma dessas pessoas”, pontua Marllon Sevilhas, coordenador do concurso.

Podem participar da seleção arquitetos negros brasileiros e africanos de língua oficial portuguesa com assento no Conselho Internacional de Arquitetos de Língua Portuguesa (CIALP). O concorrente que apresentar a melhor solução técnica para a implementação do Centro Cultural Rio-África vence o concurso.

No total, serão distribuídos R$105 mil aos três primeiros colocados e o grande vencedor será contratado para realizar o projeto que equivale a mais de R$3 milhões. O trabalho envolve a construção de uma proposta arquitetônica para jogar luz sobre as diversas transformações e renovações ocorridas na região hoje designada como Pequena África e, também, sobre o Porto Maravilha, para promover uma análise histórica e reflexiva dos impactos culturais decorrentes das sucessivas atividades desenvolvidas naquela região, com foco nas populações e territórios afrodescendentes. 

“Nós sabemos a importância histórica que a Pequena África tem para o povo da diáspora africana no Rio de Janeiro e no Brasil e ter o projeto de um profissional negro ou negra é reforçar nosso compromisso com a inclusão de pessoas negras nos espaços de tomadas de decições, até porque, historicamente, a arquitetura é embranquecida. Precisamos ocupar espaços que também são nossos por direito”, completa Marllon.

Programação

Inscrições: até 30 de agosto

Envio das propostas: até dia 30 de setembro

Julgamento dos projetos: de 7 a 29 de outubro

Resultado e Premiação: 29 de outubro

Para realizar inscrições e ficar por dentro de mais informações acesse o link.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress