Levante Nacional Contra o Lesbocídio realiza atos pelo país pedindo justiça pela morte de Ana Caroline Sousa Campêlo

O corpo da jovem foi encontrado com sinais de tortura e mutilações brutais que chocaram Maranhãozinho e o Brasil

O corpo da jovem foi encontrado com sinais de tortura e mutilações brutais que chocaram Maranhãozinho e o Brasil

Por Patrícia Rosa

Imagem: Reprodução Tv Mirante

Um mês após o assassinato brutal da jovem Ana Caroline Sousa Campêlo, de 21 anos, em Maranhãozinho (MA), ainda não existem suspeitos da autoria do crime. O Levante Nacional Contra o Lesbocídio convoca a sociedade para participar de atos em cerca de nove cidades brasileiras e para uma mobilização virtual, nesta quarta-feira (10), na busca de justiça por Carol. 

Em busca por justiça, entidades formaram o Levante Nacional Contra o Lesbocídio, como forma de exigir respostas e celeridade na solução do crime. A Revista Afirmativa entrou em contato com a Polícia Civil do Maranhão, em busca de atualizações das investigações, e não houve resposta do órgão até a publicação desta matéria. 

Imagem: Reprodução

O manifesto exige pontos como a imediata investigação do lesbocídio de Ana Caroline; o apoio às viúvas, ex-companheiras e familiares das vítimas por meio de suporte psicológico, econômico e jurídico e a implementação de um calendário nacional de enfrentamento ao lesbocídio.  

Para Josilene Carvalho, ativista do Coletivo Marias também têm Força e da Marcha Mundial das Mulheres, é necessário pautar o assassinato de Ana Carolina, devido à subnotificação. De acordo com dossiê do Observatório de Mortes e Violências contra LBGTI+, oito mulheres lésbicas foram vítimas de lesbocídio, no ano de 2022.

“Os casos não são notificados, nem na rede de saúde, nem nas autoridades públicas. As mulheres lésbicas sofrem estupro coletivo, elas vêm perdendo suas vidas, sofrendo uma violência tamanha dentro desse país”. Sobre a falta de andamento nas investigações da morte da jovem Ana Caroline Campêlo, a ativista cobra celeridade. “O inquérito não tem uma conclusão, com a celeridade que deve ser. Nós estaremos nas ruas, estamos respeitando nesse momento inclusive o luto da família, no sentido de não trazê-las para o ato,  mas as vozes delas estarão com a gente.”

Ana Caroline era uma trabalhadora de 21 anos, lésbica, não-feminilizada, nordestina,  funcionária de um posto de gasolina. Seu corpo foi encontrado com sinais de tortura e mutilações brutais que chocaram Maranhãozinho e o Brasil, deixando a família e amigas(os) devastados.

#JUSTIÇAPORCAROL

A lesbofobia é a discriminação e ódio contra mulheres lésbicas. Com intuito de lutar por justiça, pela morte da jovem e pelo fim da violência contra mulheres lésbicas e lesbocídio no Brasil, confira a lista de cidades onde acontecem atos nesta quarta-feira:

  •  Florianópolis(SC), no Largo da Alfândega – a partir das 17 horas.
  • Rio de Janeiro(RJ),- Espaço Cultural Motim – a partir das 18 horas.
  • Belo Horizonte(MG) – Centro de Referência da Juventude(CJR) – 18 horas.
  • Fortaleza(CE) – Praça Farol da Juventude , a partir das 19 horas.
  • Brasília (DF) – Concentração no Conjunto nacional,  a partir das 18 horas.
  • Recife(PE) – no Parque 13 de maio, a partir das 16 horas.
  • Petrópolis(RJ) – Praça Dom Pedro, a partir das 17 horas.

O Levante Nacional Contra o Lesbocídio, também convoca a sociedade para um twittaço, a partir das 8h30 de hoje,  com o pedido de justiça, com o uso das hashtags, #justiçaporcarol , #lesbocidio, #contraolesbocidio. Em Salvador(BA) e Campinas(SP), a manifestação acontece no próximo sábado(13).

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *