Morre Nêgo Bispo, referência do pensamento contracolonial brasileiro

O Brasil perdeu no fim desta tarde de domingo (03) o pensador contracolonial, Antonio Bispo dos Santos, conhecido como Nêgo Bispo. O intelectual tinha diabetes mellitus e sofreu uma crise compulsiva e duas paradas cardíacas.

Da Redação

Imagem: Guilerme Fagundes

O Brasil perdeu no fim desta tarde de domingo (03) o pensador contracolonial, Antonio Bispo dos Santos, conhecido como Nêgo Bispo. O intelectual tinha diabetes mellitus e sofreu uma crise convulsiva e duas paradas cardíacas. Ele chegou a ser levado para o Hospital Estadual Teresinha Nunes de Barros, localizado na cidade de São João do Piauí, a 450 km da capital Teresina, mas não resistiu e veio a óbito. A informação foi confirmada pelo perfil oficial de Nêgo Bispo no Instagram.

Nascido em 1959, na comunidade Saco do Curtume, no Vale do Rio Berlengas no Piauí, Nêgo Bispo traduzia em livros e palestras o pensamento quilombola, suas cosmologias e visão de mundo contracolonial. Bispo atuou em organizações como a Conaq (Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas), em defesa dos povos quilombolas. 

Em nota a Conaq lamentou o falecimento do líder quilombola. “Sua contribuição inestimável para a compreensão e preservação da cultura e identidade quilombola será lembrada e reverenciada por gerações”, publicou a instituição no Instagram.

A ministra da Igualdade Racial Anielle Franco, também se pronunciou em sua conta no X, antigo Twitter. “Um dos maiores pensadores da nossa época ancestralizou. Nego Bispo fez a passagem e deixou aqui um legado enorme para o pensamento negro brasileiro. Um abraço a toda sua família e amigos.”

Bispo nos deixa aos 63 anos, prestes a completar 64 anos, e deixa um legado imensurável para literatura e pensamento social brasileiro.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *