Texto: Divulgação

Imagem: Otiti (Nigéria, 2022), dir. Ema Edosio – cred Bliss Productions

Realizada em São Paulo (SP), de 6 a 20 de julho, e Curitiba (PR), de 6 a 13 de julho, a Mostra de Cinemas Africanos 2022 reúne cerca de 50 títulos de 20 países africanos. Com destaque para a produção feminina e filmes inéditos no Brasil, além de atividades paralelas como debates, masterclasses e painéis com a presença de convidados do continente, a mostra traz ainda a exibição de curtas online para todo o Brasil, realizada pelo Sesc São Paulo.

A programação circula por seis espaços da capital paulista – Cinesesc, Sesc Avenida  Paulista, Goethe-Institut, Cinusp e Circuito Spcine (Sala Lima Barreto e Biblioteca Roberto Santos), com exibições de filmes e atividades paralelas. Em Curitiba Cine Passeio e Cinemateca são os locais que recebem a mostra. Os ingressos variam de entrada gratuita a R$ 24,00 por sessão.

Entre os destaques deste ano estão o thriller sul-africano “Boa Senhora”, de Jenna Bass e Babalwa Baartman. Comentário sobre as relações raciais na África do Sul pós-apartheid, teve sua estreia premiada no Festival de Toronto e abre a programação da Mostra com a presença das realizadoras.

Já a obra “Sobre a Água” marca a estreia na direção da franco-senegalesa Aïssa Maïga, que vem à capital paulista para apresentar seu documentário. Nome de destaque no cinema francês, Aïssa acumula uma extensa carreira como atriz, roteirista e ativista. No filme, a cineasta registra os efeitos das mudanças climáticas e da globalização em uma aldeia do Níger.

O evento ainda marca a estreia mundial na Mostra de Cinemas Africanos, “Otiti”, da nigeriana Ema Edosio, segue a história de uma costureira que assume a responsabilidade de cuidar do pai doente que a abandonou quando criança. Ema também vem ao Brasil para apresentar uma masterclass sobre sua experiência como realizadora independente na Nigéria. Do Quênia, a comédia inédita “Contos da Cidade Acidental”, de Maimouna Jallow, mostra um eclético grupo que se reúne online para uma aula de controle de raiva.

São Paulo e Curitiba irão promover encontros com debates, mesas-redondas e conversas com as cineastas convidadas, que giram em torno de reflexões sobre o fazer fílmico no continente africano e possibilidades de colaboração com o Brasil. Todas estas atividades serão presenciais. Confira a programação completa no site: mostradecinemasafricanos.com.