A vítima ainda foi submetida ao parto em casa, com ajuda do criminoso. A mãe da vítima engravidou na mesma época e deu à luz dias antes da criança

Por Daiane Oliveira

Um homem de 46 anos, identificado como Welington da Conceição, foi preso por estuprar e engravidar a enteada, uma criança de 10 anos, no distrito de Trancoso, em Porto Seguro, na Bahia. A criança foi submetida a um parto dentro de casa, mas precisou de atendimento médico e foi levada ao hospital onde o crime foi identificado pelos profissionais de saúde que acionaram o Conselho Tutelar.

O padrasto da vítima negou a acusação, mas foi submetido ao teste de DNA, que comprovou a paternidade. Em depoimento Welington da Conceição teria dito que não se lembrava de ter abusado da enteada, porque estaria alcoolizado. A criança ainda informou que o estupro ocorreu na casa em que vivia com a mãe e Welington, sendo que o padastro a coagiu a esconder a gravidez ao máximo. No parto, inclusive, o homem teria auxiliado e cortado o cordão umbilical com uma faca de cozinha.

Em depoimento a mãe da criança afirmou “não acreditar no abuso sexual”, já que o acusado tinha boa relação com a família. A mãe da vítima também engravidou no mesmo período que a filha, dando à luz a esse bebê alguns dias antes da criança abusada.

O crime aconteceu em 2022, mas só foi descoberto e o acusado preso na última terça-feira (16), após o internamento da vítima. A criança, agora com 11 anos, e o bebê estão abrigados na casa de uma tia. Welington Conceição está na Delegacia de Porto Seguro e deve ser levado em breve, segundo a Polícia Civil da Bahia, para o Presídio de Eunápolis, onde ficará à disposição do judiciário.

Mais de 17,5 mil violações sexuais contra crianças e adolescentes foram denunciadas pelo Disque 100 em 2023

O Disque 100 (Disque Direitos Humanos) registrou mais de 17 mil violações sexuais contra crianças e adolescentes de janeiro a abril no ano de 2023, segundo relatório divulgado nesta quarta-feira (17) pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC). Em apenas 4 meses foram registradas 69,3 mil denúncias e 397 mil violações de direitos humanos de crianças e adolescentes, das quais 9,5 mil denúncias e 17,5 mil violações envolvem violências sexuais físicas, como abuso, estupro e exploração sexual, além das violências psíquicas.

De acordo com os dados divulgados, grande parte das violências acontecem na casa da vítima ou em uma casa onde reside a vítima e o suspeito. No total, 5,7 mil denúncias e 10,3 mil violações acontecem nesse ambiente. Já na casa de familiares, de terceiro ou do suspeito, os casos de exploração sexual foram no total 1,8 mil denúncias e 3,5 mil violações. A data de 18 de maio é marcada pelo Dia de Combate ao Abuso e à exploração sexual contra crianças e adolescentes, em memória ao caso da menina Araceli Crespo, uma criança de 8 anos que foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada na data, no ano de 1973