A mulher estava em um carro de aplicativo e se irritou porque os funcionários não deixaram o carro entrar no condomínio sem se identificar

Por Patrícia Rosa

Imagem: Reprodução TV Globo

Sandra Regina Vilela  da Silva, foi presa em flagrante por cometer racismo e lesão corporal contra dois porteiros, em um condomínio da Zona Oeste do Rio de Janeiro. O caso aconteceu no último dia 08 de maio e foi divulgada na última quinta-feira (18). A moradora  queria entrar no condomínio em um carro de aplicativo sem se identificar, e se irritou quando os funcionários, Edson Ferreira de Barros e Marcos Paulo de Lima Sardinha, fizeram o procedimento padrão de abordagem ao condomínio:

“Nós perguntamos se realmente ela era moradora, e ela queria que nós liberássemos a cancela do condomínio. E por motivo fútil, ela botou a cara para fora do carro e começou a nos ofender. Ela foi até o prédio dela e logo após retornou à guarita de forma violenta, já veio na intenção de nos agredir”, relatou Marcos, ao Portal G1.

O porteiro ainda declarou que Sandra usou termos racistas contra ele, “começou a me chamar de macaco e veio na intenção de me agredir.” Os demais moradores gravaram as agressões.

O porteiro Edson Ferreira ficou com marcas de agressão no rosto. Sandra responde pelos crimes na 39ª Vara Criminal.

Não é a primeira vez que Sandra é denunciada. Em 2022, Alisson Abel Borges, que mora no mesmo condomínio, registrou dois boletins de ocorrência por ter sido chamado várias vezes de “viado”, ter sido agredido e ameaçado pela moradora.