Por Andressa Franco

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra policiais militares invadindo uma residência em Jacareí (SP), sem mandado judicial, e agredindo as pessoas que estavam no local com camisetas e bandeiras do PT. O grupo estava reunido fazendo um churrasco enquanto acompanhavam a apuração das eleições na tarde do último domingo (30).

Nas imagens, um homem vestido com uma camiseta com o nome “Lula” é rendido por policiais e arrastado. O vídeo mostra as pessoas em volta pedindo para os agentes pararem, e questionando “cadê o mandado?”, enquanto eles algemam o homem deitado no chão. O vídeo mostra ainda uma marca de tiro em uma parede, disparado pelos PMs, além de sangue no chão.

Segundo matéria da Ponte Jornalismo, as vítimas relataram que os policiais chegaram ao local dizendo que haviam recebido uma denúncia anônima de “boca de urna”. O grupo, que incluía crianças, no entanto, não estava próximo de nenhum ponto de votação. Segundo um dos participantes do churrasco, três homens foram agredidos com socos e golpes de cassete.

“A polícia invadiu com ação truculenta e agressividade. Chutou a porta e empurrou uma das mulheres. Um dos algemados foi arrastado no chão. Eles engatilhavam arma toda hora para intimidar todos”, disse uma testemunha e vizinha do detido em entrevista à Band Vale.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirma que testemunhas contaram à PM que teriam visto um automóvel Fox “realizando propaganda política e distribuindo matérias de cunho político” no bairro Jardim Paraíso.

Já segundo a nota da Polícia Militar, os mesmos receberam uma “denúncia anônima” e localizaram o automóvel dentro de uma casa, “em que um grupo de pessoas se manifestava partidariamente, também com som alto e bandeiras, de forma a arregimentar eleitores”. Após serem abordadas as pessoas teriam reagido, passando a “hostilizar os policiais”. Na versão da PM, o tiro dentro da casa foi um disparo acidental, ocorrido quando “um dos detidos tentou tomar a arma de um dos policiais”.

A nota da SSP informa ainda que o caso foi registrado como resistência e normas para as eleições — proibições no dia da eleição, no plantão da Delegacia Seccional de Jacareí. Legislação que proíbe práticas como uso de alto-falantes ou boca de urna no dia da eleição.