Dois homens que se amam decidem se casar. Uma empresa de cerimonial é contratada e produz uma festa nos moldes mais tradicionais do amor romântico, e normativo. A cerimônia é realizada de quinta a domingo, às 20h, no sofisticado Palacete das Artes, no bairro da Graça. Trata-se do espetáculo Revelo, com direção de Tiago Romero, texto e produção de Daniel Arcades.

O público cumpre a função dos convidados, e com direito a espumante emerge no convite real que propõe o espetáculo: uma séria reflexão sobre afetividades, padrões sociais, e suas consequências. A trama principal é vivida por cinco personagens centrais masculinos gays: os noivos, um cerimonialista que vive sozinho, seu assistente – apaixonado por uma travesti que não pretende se casar, e um convidado que não acredita na união tradicional e está disposto a acabar com a festa.

A narrativa central é constantemente intercalada por histórias paralelas: relatos pessoais e fragmentos de memórias dos personagens ou de sujeitos reais. Os atores revezam-se em papéis secundários para construir este painel fragmentado, em uma história que pra falar de amor inevitavelmente debate a sociedade, violências e preconceitos. “São cinco atores em uma peça sobre afeto, feita para gerar reflexão sobre os padrões de normalidade dentro do universo masculino”, explica o diretor Tiago Romero.

A clássica história romântica e o ideal de casamento aparecem como plano de fundo para diversos debates acerca do universo homossexual. A linguagem excessivamente novelesca, o uso de clichês e poesia trazem sensibilidade no trato a questões duras. E não seria o casamento uma estrutura falida das relações hetero-normativas? É interessante para comunidade LGBTT aderir essa estrutura? A cada 28 horas um homossexual é assassinado no Brasil (dados do Grupo Gay da Bahia), essas vidas vão pra conta de quem?

Revelo excede no romantismo, mas é no enfrentamento a violência onde o espetáculo realmente extrapola. “Escrever Revelo foi como é falar de amor e de dor, uma delícia.

Tudo é extremamente político e nossa intenção é fazer com que o espectador reflita. É uma temática bastante pertinente, pois no Brasil ainda há muitos casos de crimes homofóbicos.”, afirma o dramaturgo Daniel Arcades.

A peça, cuja entrada é gratuita, fica em cartaz até o próximo domingo (14), sempre às 20h, e tem sessão extra no dia dos namorados – próxima sexta-feira (12), às 17h, no Palacete das Artes. Os ingressos serão distribuídos no local uma hora antes do espetáculo. Os românticos vão se apaixonar. Os engajados sairão embevecidos com o poder de enfrentamento da arte política.

SERVIÇO: ESPETÁCULO TEATRAL “REVELO”
Onde: Palacete das Artes – Rua da Graça, 289 – Graça, Salvador (BA)
Quando: Até 14 de junho – de quinta a domingo, às 20h. Sessão extra sexta-feira, às 17h.
Gratuito – ingressos distribuídos uma hora antes no espaço.