Da Redação

Uma travesti negra, foi assassinada com tiros na cabeça em uma  passarela da Avenida Bonocô, em Salvador (BA). O caso aconteceu no último domingo (13). A vítima, que  ainda não teve a identidade identificada, estava com as mãos amarradas.

De acordo com Renildo Barbosa, coordenador do Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT da Bahia (CPDD), órgão da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), do Governo da Bahia, em entrevista para o G1, a vítima seria conhecida como “Natasha”.

De acordo com a Polícia Civil, o caso está sob investigação do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

A Bahia é o sétimo estado que mais matou pessoas trans e travestis em 2022, com sete casos registrados. Os números são do  dossiê anual da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). Em todo território nacional 131 casos foram registrados.