Vizinhas agridem e chamam mulher negra de “preta safada” em condomínio em Natal (RN)

Mãe e filha foram flagradas pelo sistema de segurança do prédio onde moram, agredindo fisicamente a vizinha, Flávia de Carvalho, de 36 anos, na porta do elevador do edifício localizado em Natal (RN).

Por Patrícia Rosa

Imagem: Vídeo reprodução

Mãe e filha foram flagradas pelo sistema de segurança do prédio onde moram, agredindo fisicamente a vizinha, Flávia de Carvalho, de 36 anos, na porta do elevador do edifício localizado em Natal (RN). A vítima denunciou nas suas redes sociais que sofreu racismo por parte das vizinhas, com perseguições, agressões físicas e verbais. Elas se referiram à gerente de vendas com termos como  “preta safada” e “negra nojenta”.

A violência aconteceu na manhã da última quarta-feira (07),  as agressoras foram identificadas pela vítima como,  Regina dos Santos Araujo e Suedja  Marcia dos Santos Araújo, mãe e filha. Flávia é moradora do  condomínio há cerca de 5 anos, após a chegada das duas moradoras, ambas começaram as reclamações de supostos barulhos vindos de sua casa: “Regina passou a espreitar minha entrada e saída de casa, a manter a porta do apartamento dela aberta para proferir palavras provocativas, até que chegaram ao ápice”, denunciou a vítima.

A gerente de vendas  saía para o trabalho quando foi surpreendida com os ataques na espera do elevador. Em suas redes, Flávia descreveu a  sessão de violência:

“Suedja [a filha] subiu pelas escadas, acionada pela mãe Regina, que neste momento me xingava até a chegada da filha. Suedja me atacou pelas costas, de surpresa, me derrubando ao chão. Regina me puxava pelos cabelos e me segurava pelos ombros, enquanto a outra proferia golpes no meu rosto e me dizia que ‘uma negra nojenta como eu não merecia morar ali, que não era bem vinda, que ia aprender a respeitar’”, relatou a vítima 

Flávia buscou a polícia e registrou a ocorrência dos crimes de agressão física e injúria racial, na 10ª Delegacia Policial De Natal, que acompanha o caso. A Revista Afirmativa entrou em contato com a Polícia Civil do Rio Grande do Norte, para obter  mais informações, mas não obteve resposta, até a publicação desta matéria. 

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, se pronunciou nas redes sociais sobre o caso. “O RN tem tolerância zero para violência racial. Por isso, venho aqui para deixar claro que todas as medidas estão sendo tomadas, e racistas não passarão!”, escreveu a governadora.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *