Por Bruna Rocha (Ascom Corra pro Abraço/MIMB)

A manhã desta quarta-feira (07) foi diferenciada para os e as participantes do curso de Redução de Danos do Programa Corra pro Abraço, vinculado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia.

Através de uma parceria com a MIMB – Mostra Itinerante de Cinemas Negros Mahomed Bamba, pessoas em situação de extrema vulnerabilidade que são assistidas pelo programa puderam assistir e discutir a produção de cinema por pessoas negras.

O filme exibido foi o premiado ‘Motriz’ e a diretora Taís Amordivino acompanhou as sessões, seguidas de debate sobre o tema central da obra: afetividade e resistência da mulher negra, retratada através da história de vida da mãe da cineasta, dona Nilzabete Santos.

As duas turmas, compostas majoritariamente por mulheres e muitas delas mães, levantaram discussões sobre suas próprias vidas, demonstrando uma grande identificação com a história retratada no filme.

“É muito forte ter que mostrar um sorriso, depois que a gente passa pelas decepções da vida. Esse filme me deu vontade de registrar os momentos de minha filha e arrependimento de não ter registrado minha mãe”, relatou Jucimara Oliveira, assistida do programa.

Para a diretora Taís Amordivino foi uma experiência única: “Eu ouvi perguntas e questões muito diferentes do que costumo ouvir nos espaços do Cinema, por exemplo, sobre a linguagem, opções estéticas. Aqui o diálogo foi profundamente ligado à história das pessoas, aos sentimentos, à saudade. Foi muito forte ver a identificação, principalmente das mulheres”.

O programa Corra pro Abraço entende o acesso à arte à Cultura como uma estratégia fundamental no trabalho de Redução de Danos. A MIMB é um festival realizado por mulheres negras com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva do cinema negro no Brasil e no mundo.

Neste ano, a mostra, que circulou vários territórios de Salvador nas duas primeiras edições, em 2018 e 2019, acontece totalmente online devido à pandemia. A exibição para a turma do Corra foi a única exceção presencial da mostra neste ano, visto que as pessoas em situação de vulnerabilidade assistidas pelo programa não têm condições de acesso à internet para ver os filmes. Todos os protocolos de segurança à prevenção do Covid-19 foram respeitados.

O filme Motriz segue disponível na MIMB através da plataforma Videocamp, até sexta-feira (9).