Online e gratuita, IFÉ – AMOR SEM FRONTEIRAS acontece entre os dias 15 e 25 de abril

Texto e imagem: Divulgação 

IFÉ na linguagem iorubá significa “amor”. E é o amor que dá o tom da MOSTRA IFÉ – AMOR SEM FRONTEIRAS. Uma Mostra de cinema online e gratuita que reúne obras audiovisuais produzidas por realizadores ou coletivos negres e indígenas de diversos estados do Brasil. As produções abordam temas relacionados à Diversidade Sexual e de Gênero em suas múltiplas formas de expressão. A Mostra acontece até o dia 25 de abril no site mostraife.com.br.

A MOSTRA IFÉ é uma realização da Timoneira Produções Artísticas e a edição de estreia foi contemplada na Lei Aldir Blanc, a partir do edital Fomenta Festival RJ. A proposta da Mostra é disseminar novas narrativas, diversificar o debate acerca da cadeia produtiva do audiovisual, visibilizar corpos e vozes que são sistematicamente silenciados, e promover encontros entre realizadores e o público em geral. A cineasta Mariana Campos, e a produtora cultural, Ana Beatriz Silva, fundadoras da Timoneira Produções Artísticas, assinam a direção da Mostra.

A curadoria é da Anti Ribeiro e do Fábio Rodrigues Filho que no texto curatorial afirmam “Organizamos este conjunto de filmes em quatro programas que ressalta o caráter de “sem fronteiras”, presente no título da mostra a caracterizar a noção de amor. Os programas são: “Dar forma ao desejo”, “Pés fincados em solo que ondula”, “Não há página que caiba” e “O amor é o que amor faz” e é talvez por essa força que não respeita as fronteiras, os limites e a ordem estabelecida, que amor aparece nesses filmes de modo insuspeito, como um programa para a liberdade, para invenção formal e como ferramenta de luta contra a dominação colonial e consequentemente cisheteronormativa”.

Disponível entre até o dia 25 de abril de 2021, a programação reúne 15 filmes produzidos por realizadores ou coletivos negres e indígenas, divididos nos 4 programas temáticos citados acima pela curadoria. As obras ficarão disponíveis por dois dias.

Entre os filmes que integram a Mostra estão Essa festa é a minha vida, de Ulisses Arthur (Programa 03), Rebu – A egolombra de uma sapatão quase arrependida, de Mayara Santana (Programa 03), à beira do planeta mainha soprou a gente, de Bruna Barros e Bruna Castro (Programa 01) e Eu te amo, Bressan, de Gabriel Borges (Programa 01). Confira a programação completa AQUI.

 

Diálogos sobre audiovisual negro e indígena

Além das produções audiovisuais, espaços de diálogo também estão garantidos na Mostra. Reforçando as estratégias de cuidado no contexto de pandemia, os tradicionais encontros com realizadores, na MOSTRA IFÉ acontecem a partir de podcasts. Serão quatro edições do Podcast #MostraIFÉ com os realizadores dos filmes que integram a Mostra.

Outro espaço importante de diálogo que compõe a Programação da MOSTRA IFÉ são os Seminários (A Poesia não é um Luxo e A audácia do Amor). Um espaço dedicado à formação de público e formação de pensamento crítico sobre pautas LGBTs e raciais através do cinema. Artistas, poetas, críticas, e pesquisadoras do audiovisual negre e indígena participam dos Seminários da MOSTRA IFÉ entre estas Carol Dall Farra (poeta), Mariana Souza (pesquisadora), Renna Costa (transartivista) e Dandara Fernandes (atriz). E, para celebrar os encontros, corpos e narrativas negras e indígenas LGBTs, Happy Hours com artistas da cena LGBT abrem e encerram as atividades.

IFÉ para todes!

Buscando construir espaços cada vez mais democráticos, todos os Seminários da MOSTRA IFÉ possuem tradução simultânea em Libras. Sobre as sessões, os filmes do “Programa 2 – Pés fincados em solo que ondula” possuem acessibilidade (audiodescrição). No Programa 3 e 4, respectivamente, o filme Negrum3, de Diego Paulino, e Minha História é Outra, de Mariana Campos, contam com tradução simultânea em Libras.

 

Serviço

MOSTRA IFÉ – AMOR SEM FRONTEIRAS

Local: www.mostraife.com.br

Data: De 15 a 25 de abril de 2021

Realização: Timoneira Produções Artísticas

Patrocínio: Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal