A adolescente denunciou Pedro Miguel de Oliveira Silva, de 59 anos, relações públicas do restaurante por assédio dias antes do falecimento

Por Daiane Oliveira

Imagem: Divulgação

Na tarde da última quarta-feira (15) uma das adolescentes que denunciaram um dos sócios do Restaurante 33, localizado no Shopping Salvador, por assédio, foi encontrada morta, na área externa do prédio onde morava na capital baiana. Os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegaram a ser acionados, mas a jovem já estava sem vida. Segundo as informações iniciais, a adolescente teria caído do apartamento.

No dia 3 de março, a adolescente que faleceu estava com três amigas menores de idade no restaurante 33 Steakhouse, no Shopping Salvador, quando um homem que se apresentou como sócio se aproximou da mesa e ofereceu bebidas alcoólicas para as menores. O homem teria as convidado para um passeio de lancha, banho de piscina em sua casa e dito que gostava de “mulheres” mais novas. O acusado pelo crime de assédio sexual é Pedro Miguel de Oliveira Silva, de 59 anos, que atua como relações públicas no local há 17 anos.

Em um vídeo gravado por uma das vítimas é possível ouvir quando o homem diz: “Se vocês entenderam isso bacana, eu deixo vocês muito à vontade. Sou um homem mais velho, mas gosto de mulheres mais nova também” e afirma ainda que “se também gostarem de homem mais velho também, ‘tamo aí’. Esse assunto é um segredo nosso, pode ser?”, perguntou o acusado às vítimas.

Uma das adolescentes relatou em entrevista ao G1 que o homem chegou a alisar os braços delas e o assédio durou cerca de 1 hora até que uma cliente, que estava sentada em uma mesa ao lado, percebeu a movimentação e se juntou a elas. A mulher, uma advogada de 38 anos, só saiu do local com a chegada da irmã de uma das adolescentes, Judith Cerqueira.

Após a denúncia das adolescentes, mais de 30 mulheres entre clientes e ex-funcionárias  relataram serem vítimas de assédio sexual praticado pelo mesmo homem. A Polícia Civil informou que o inquérito foi concluído nesta terça-feira (14), pela Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e Adolescente (Dercca) e remetido ao Ministério Público da Bahia (MP-BA).O homem foi indiciado pelo crime, além de injúria e oferecimento de bebida alcoólica a menor de idade, previsto no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA).

Quanto a morte da adolescente segue em investigação pela Polícia Civil, que expediu as guias de perícia e remoção do corpo.