Mulheres pretas ainda são minoria nas empresas de tecnologia do Brasil e ocupam apenas 11% dos cargos no setor

Por Andressa Franco

Imagem: metamorworks/Shutterstock

Estão abertas até o dia 8 de maio as inscrições para os cursos de tecnologia oferecidos pela Universidade Afrolatinas, em parceria com o Google. Serão disponibilizadas 500 bolsas para acessar os cursos disponíveis em português e em inglês.

Os cursos disponíveis em português são: Gerenciamento de Projetos, com carga horária de 140 horas; Análise de Dados, de 180 horas; Design de Experiência do Usuário, de 200 horas; e Suporte em TI (Tecnologia da Informação), também de 140 horas. Já em inglês, os cursos disponíveis são: Digital Marketing &amp E-Commerce, com carga horária de 200 horas, e OI Automation with Python, de 180 horas.

Pra se inscrever, basta preencher este formulário. A seleção vai priorizar inscrições de pessoas que se autodeclaram negras, indígenas e LGBTQIAP+, com o objetivo de incentivar a inclusão e a diversidade no mercado de trabalho em TI.

Os Certificados Profissionais do Google são cursos 100% online, desenvolvidos para capacitar pessoas em habilidades e profissões em alta demanda, mesmo sem experiência prévia. Os cursos estarão disponíveis no Coursera e podem ser feitos de forma flexível, ou seja, na velocidade que cada pessoa preferir.

O Instituto Afrolatinas é uma organização de mulheres negras que desenvolve ações transversais a partir da educação, das artes, da cultura e da comunicação.

Mulheres pretas são minoria nas empresas de tecnologia

De acordo com dados compilados em pesquisa divulgada pela iniciativa PretaLab, as mulheres pretas ainda são minoria nas empresas de tecnologia do Brasil e ocupam apenas 11% dos cargos no setor.

Enquanto números do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostram que a taxa de desemprego entre mulheres pretas em 2020 representou o dobro dos índices observados entre homens brancos, o mercado de tecnologia brasileiro tem déficit de 24 mil profissionais por ano, de acordo com a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais (Brasscom).