O evento é gratuito e acontece no dia 27 de novembro com objetivo de fomentar o debate sobre agroecologia e segurança alimentar associados à sustentabilidade quilombola

Por Andressa Franco

Imagens: Wikimedia Commons/ilustrativa

A Associação Cultural de Agricultores Familiares das comunidades quilombolas de Santo Antônio e Vidal promovem no dia 27 de novembro a VII Feira de Sustentabilidade Quilombola. A atividade tem início às 9h e conta com uma programação de mesas temáticas até às 18h, na Sede da Associação da Comunidade, na cidade de São Felix, no Recôncavo Baiano.

O evento é gratuito e a organização estima alcançar um público de mil pessoas entre comunidades quilombolas do território do Recôncavo, convidados, além de todos os seguimentos de povos e povos tradicionais ao seu entorno.

“A Feira cumpre um papel essencial pela conservação do nosso patrimônio material e imaterial, um evento empenhado na valorização elementos socioculturais dentro das comunidades quilombolas e seu entorno”, afirma Eli Odara Theodoro, uma das responsáveis pelo evento.

A Feira tem como objetivo ser um espaço de trocas e formação para fomentar o debate do alcance de políticas públicas que favoreçam comunidades quilombolas, a partir de diálogos formativos e atividades lúdicas. Entre os temas abordados pelas mesas estão:

  • Enfrentamentos quilombolas antes, durante e pós pandemia pela Associação Quilombola Santo Antônio e Vidal;
  • Organização Associativa em terras quilombolas;
  • Histórico Quilombola de Sustentabilidade;
  • Responsabilidade, segurança alimentar e agricultura familiar;
  • Agricultura Tradicional e Agroecologia;
  • História e Cultura Afro na Diáspora;
  • A educação no território e a preservação e identidade quilombola local;
  • Racismo Religioso e seus impactos na preservação do legado ancestral;
  • Plantas medicamentosas, ancestralidade, agrotóxico, preservação e seus impactos nas gerações futuras;
  • Quilombo, formação e políticas públicas (racismo estrutural)

Na feira, as barracas terão expositores para apresentar produtos da agricultura familiar, artesanato com sementes, mudas, ramas, produtos da roça, bebidas produzidas de modo artesanal. Pela tarde o evento terá apresentações culturais, além de oficinas, danças, capoeira, teatro, música e poesia.

A Feira de Sustentabilidade Agroecológica visa ainda ser um espaço colaborativo, para comercialização a partir da valorização da identidade cultural, num modelo agroecológico quilombola. Debatendo demandas das comunidades quilombolas, no tocante às políticas públicas, nas vivências individuais e coletivas, através de diálogos formativos objetivando projetar coletivamente caminhos para construção de um futuro melhor, conhecendo as várias formas de sustentabilidades.

Contemplados pelo edital “Quilombolas em Defesa: Vidas, Direitos e Justiça” lançado pelo Fundo Baobá e Conaq, a comunidade tem conseguido investir em desenvolvimento social, na colheita saudável e na segurança alimentar, associados à sustentabilidade quilombola. “É esse contexto que possibilita a realização do evento com troca de saberes, narrativas envolvendo agroecologia, comercialização direta de produtos da agricultura familiar com geração de renda dentro do quilombo”, finaliza Theodoro.