Tina Turner estava reclusa após uma doença. A causa da morte não foi divulgada

Por Daiane Oliveira

Imagem: Peter Lindbergh

Tina Turner, conhecida como a rainha do rock n’ roll, faleceu aos 83 anos em sua casa na Suíça. A notícia foi confirmada na tarde desta quarta-feira (24) pelo assessor da artista. A causa da morte não foi divulgada, mas a nota informa que a artista morreu “pacificamente hoje, aos 83 anos, após uma longa doença em sua casa em Kusnacht” e que “com ela, o mundo perde uma lenda da música e um exemplo.”

Tina interpretou sucessos como “What’s Love Got to Do with It”, “The Best” e “We Don’t Need Another Hero”. Em carreira solo desde a década de 80, a cantora estadunidense, marcou gerações. Antes de trilhar a carreira individualmente, Tina cantou no final dos anos 60 e 70 com seu ex-marido, Ike Turner, que morreu em 2007.

Ícone de moda e comportamento, o álbum Private Dancer, em 1984, rendeu a Tina quatro prêmios Grammy. A cantora está no Guinness Records por ter o maior público para um show de uma artista solo, devido à apresentação em 1988 no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, com 188 mil pessoas e transmitida ao vivo para o mundo.

Tina Turner nos últimos anos já vinha passando por complicações na saúde. Em 2016 foi diagnósticada e tratou um câncer de intestino. Já em 2017 teve problemas renais que a levaram a fazer sessões diárias de diálise, sendo necessário depois de um transplante por conta da falência do órgão.