O indeferimento foi devido a cassação do mandato pela Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro

Por Patrícia Rosa

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), decidiu   na última quarta-feira(31) pela negação do registro da candidatura  a deputado federal de Gabriel Monteiro (PL), com seis votos a favor e um contra.  O agora ex-vereador teve o mandado de vereador cassado pela Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, no dia 18 de agosto, por quebra de decoro parlamentar.  Ele  é  acusado de estupro, assédio moral, sexual, filmar e divulgar cenas de sexo com uma adolescente e por manipulação de vídeos. 

Com a decisão, ele não está apto a concorrer às eleições de 2022  e ficará inelegível por oito anos. Também foi decidido que o partido que Monteiro é filiado, o PL,  terá que devolver a verba destinada à campanha dele,  pelo Fundo Eleitoral e não poderá aparecer nas propagandas eleitorais de TV e rádio. 

No entanto, a defesa  pode recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a suspensão do indeferimento. O pedido de impugnação é de autoria do candidato a deputado estadual e advogado, André Barros (PSOL).