Com o filho de 2 anos no carro, a cantora passou por uma abordagem policial violenta em São Paulo

Por Daiane Oliveira

A cantora baiana Luedji Luna denunciou racismo e violência policial que passou com sua família em São Paulo, no sábado (08). A artista usou as redes sociais para relatar que enquanto procurava por uma casa com seu noivo e filho de apenas 2 anos, além da corretora, foi abordada por policiais, que apontaram uma arma.

A violência aconteceu no bairro Vila Romana, Zona Oeste da cidade de São Paulo. “Procurando casa no meu bairro, a polícia nos para com arma apontada. Meu filho de dois, meu marido e a corretora (branca) dentro. Pq preto com uma branca no carro, num bairro “ok” só poder ser assaltado a casa, e/ou sequestro. Estamos todos bem, VIVOS!”, escreveu a cantora em sua rede social.

Após ler comentários de usuários tratando como “normal” a violência policial, a cantora Luedji Luna, que comumente não utiliza as redes sociais para denunciar casos de violência, afirmou estava novamente sendo violentada e aproveitou para recordar que quando cantou no “Grammy” não saiu nota na imprensa tradicional e hegemônica.

“Dividir sua experiência  de violência racial na internet é pedir pra ser violentado duas vezes. As pessoas realmente acham normal abordar com arma em punhos uma mãe de família, um pai de família, e uma criança de 2 anos. Essa semana volto pra África mais uma vez”, escreveu Luedji que em seguida completou “Vou cantar no renomado Kriol Jazz Festival. Mas já cantei no Grammy tb,  e não saiu nenhuma nota na época… Que nossos feitos, e conquistas, tenham mais reconhecimento que as nossas mazelas! Partiu  Cabo Verde!.”

Luedji Luna é noiva do MC, designer e artista plástico Zudizilla, com quem tem Dayô. A baiana, que atualmente reside em São Paulo, teve seu segundo álbum indicado ao Grammy Latino 2021 na categoria “Melhor Álbum de Música Brasileira”.