Margareth Menezes aceita convite para assumir Ministério da Cultura

A baiana, de 60 anos, Margareth Menezes foi convidada para assumir o Ministério da Cultura no governo Lula. A informação foi confirmada pela assessoria da artista na noite de sexta-feira (9) à imprensa nacional.

Aos 60 anos, a cantora, compositora e ex-atriz é o nome indicado para assumir a pasta da Cultura no governo de Lula para o terceiro mandato presidencial

Por Daiane Oliveira

Imagem: Reprodução

A baiana, de 60 anos, Margareth Menezes foi convidada para assumir o Ministério da Cultura no governo Lula. A informação foi confirmada pela assessoria da artista na noite de sexta-feira (9) à imprensa nacional. De acordo com o Jornal de Brasília, a cantora, compositora, ex-atriz e gestora da Fábrica Cultural, aceitou o convite.

De forma cooperativa e coletiva, a cantora Margareth Menezes fundou a ONG Fábrica Cultural e o projeto Mercado Iaô, um Centro de Arte, de Educação, de Cultura e de Negócios Criativos, localizado na Península de Itapagipe, em Salvador. O espaço reuniu manifestações artísticas como moda, gastronomia, artesanato e música, trazendo preocupações como empregabilidade, jovens da periferia, meio ambiente, cidadania, gênero e economia solidária e criativa.

Com experiência no terceiro setor, Margareth Menezes também fundou a Associação Fábrica Cultural, de combate ao trabalho infantil, exploração sexual e outras violações de direitos. Sendo ainda, embaixadora da IOV-UNESCO, grupo que visa preservar o folclore e fomentar a produção cultural, trazendo como premissa a missão da UNESCO em salvaguardar o Patrimônio Cultural Imaterial do mundo.

Conhecida nacionalmente desde os anos 1980 por interpretar canções como “Faraó – Divindade do Egito”, Margareth Menezes possui mais de 10 álbuns lançados, acumula indicações ao Grammy e turnês internacionais. A cantora participou da equipe de transição de Lula.

Repercussão da indicação de Margareth Menezes ao cargo de Ministra da Cultura

Logo que houve a indicação da cantora ao cargo houveram críticas nas redes sociais por supostamente Margareth Menezes não ter experiência em cargos de gestão cultural. Em entrevista à Folha de São Paulo, o fotógrafo e diretor Luiz Carlos Barreto, informou que enviou um conselho ao PT e ao presidente Lula pelo WhatsApp com a indicação de que fosse escolhido um nome “mais técnico”.

“Sou um produtor de cinema e militante em favor de um projeto cultural brasileiro. Eu acho que o Ministério da Cultura não deve ter um ministro artista. Como diz a Fernanda Montenegro, quando ela foi convidada por Sarney para ser ministra da Cultura –eu a fui sondar–, o lugar de artista é na trincheira da criatividade, não é nos gabinetes das repartições públicas, oficiais”, diz Barreto que prefere o nome do ex-ministro da Cultura Juca Ferreira.

No entanto, a cantora também recebeu muitas manifestações de apoio da classe artística. Como a cantora Maria Gadú que manifestou felicidade e exalta a cantora baiana como um símbolo da nova gestão de Lula.

“Margareth vem como um respiro e um símbolo. Mulher preta, baiana. Passou por teatro, atuou internacionalmente como movimentadora cultural. Fez turnê com David Byrne. Não é só esse lance de ser artista. Ela circula há tantos anos colocando o Brasil em outro panorama. Chegou a hora de o Brasil recolocar Magareth no panorama. Estou muito feliz. A gente precisa de representatividade”, declarou a cantora Maria Gadú à Folha de São Paulo.

Além de Margareth, alguns nomes que foram cotados para o ministério foram Marieta Severo, Emicida, Daniela Mercury, Chico César, Lucélia Santos e Flora Gil. Margareth também é esperada para se apresentar no evento da posse de Lula, em Brasília, ao lado de cantores, como Paulinho da Viola, Teresa Cristina, Pabllo Vittar, Gaby Amarantos, Martinho da Vila, Gilsons, Chico César, Luedji Luna, dentre outros.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *