Longa que passou mais de um ano e meio circulando por dezenas de festivais internacionais sem data para chegar aos cinemas brasileiros, tem estreia nacional marcada para o dia 14 de abril

Por Andressa Franco

Imagem: Divulgação

“Medida Provisória”, primeiro trabalho do ator Lázaro Ramos como diretor, vai ganhar uma pré-estreia exclusiva no Cinema São Luiz, em Recife (PE), na próxima segunda-feira (4). O longa é um dos mais aguardados do cinema nacional, e depois da sessão, Lázaro Ramos e um dos atores que integra o elenco do filme, Alfred Enoch, participam de um debate com o professor e filósofo Érico Andrade.

O filme é baseado na obra teatral de Aldri Anunciação, “Namíbia, Não!”, e conta a história de um Brasil em um futuro distópico, quando um governo autoritário decreta uma medida provisória que obriga os cidadãos negros a migrarem para a África, criando caos, protestos e um movimento de resistência clandestino que inspira a nação. Além de Enoch, o elenco conta com nomes como Seu Jorge, Taís Araujo, Adriana Esteves, Renata Sorrah, Mariana Xavier e Emicida. O roteiro foi escrito por Lázaro com Luisa Silvestre e os co-roteiristas Aldri Anunciação e Elísio Lopes Jr.

A sessão de pré-estreia será às 19h, com ingressos à venda a partir das 18h na bilheteria (apenas com dinheiro), e compra limitada a 4 ingressos por pessoa. A estreia nas salas de cinema brasileiras está marcada para o dia 14 de abril.

Censura

“Medida Provisória” passou mais de um ano e meio circulando por dezenas de festivais internacionais e ganhando prêmios pelo mundo sem data para chegar aos cinemas brasileiros.

A assessoria do longa-metragem acusou a ANCINE de atrasar propositalmente a circulação do filmes nas salas de cinema nacionais. Em nota publicada nas redes sociais da assessoria Trigo Press, os produtores envolvidos cobraram uma resposta da agência. “Medida Provisória segue impossibilitado de ter seu lançamento no Brasil apesar dos inúmeros recursos submetidos por suas produtoras e coprodutoras à Agência Nacional do Cinema (ANCINE) para que ele seja liberado em circuito comercial”.

Em outubro do ano passado, a produção enviou um questionamento formal à Agência para entender os motivos do atraso da confirmação do lançamento. Segundo a assessoria, a Ancine confirmou o recebimento da carta, mas não houve manifestação por parte de outros setores. “Ao longo de mais de um ano foram trocados com a agência dezenas de e-mails, checados o recebimento e andamento de protocolos, bem como foram realizadas consultas processuais”, diz um trecho da nota.

O próprio Lázaro Ramos publicou um vídeo nas redes sociais em dezembro, onde comentou o quanto vinha sendo questionado pelas pessoas que acompanham seu trabalho, sobre quando o filme chegaria no Brasil. E anunciou a primeira exibição do filme no país, única e pontual, que aconteceu no dia 15/12 no Festival do Rio, mais de dois anos após ter sua filmagem concluída.