Mulher é presa em flagrante após furtar loja e proferir ofensas racistas contra segurança em Niterói (RJ)

Luciana Alves Marcolino, de 45 anos, foi presa em flagrante no último sábado (20), pelo furto de um carregador de celular e pelo crime de injúria racial, em uma loja de Niterói (RJ).

Da Redação

Imagem: Reprodução

Luciana Alves Marcolino, de 45 anos, foi presa em flagrante no último sábado (20), pelo furto de um carregador de celular e pelo crime de injúria racial, em uma loja de Niterói (RJ). Quando abordada pelo chefe de segurança da loja, a mulher chamou o funcionário de  “criolo” e “macaco”. 

A situação foi registrada em um vídeo. Luciana aparece falando para o segurança negro,  “vai voltar para a sezala, toda vez que sou constrangida é um crioulo  ou uma crioula”. A suspeita não se constrange com a gravação, afirma que não tem nada a perder, diz não ser racista e acusa o funcionário de ter tocado nela. 

A mulher foi encaminhada para o 76º Distrito Policial de Niterói. A  Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro se pronunciou por nota e afirmou que a mulher confessou o furto do carregador.

O segurança Wanderson Rodrigues declarou ao Portal G1, que um cliente da loja avisou aos funcionários que ela estava colocando o produto na bolsa. A ocorrência foi constatada nas câmeras de segurança. Sobre o racismo que sofreu, o segurança relata ser uma situação triste. 

“Claro que a gente fica com o psicológico, mas a gente é preparado para isso. A gente tenta não deixar isso afetar o nosso dia a dia ou a nossa alma. Mas assim, é triste, é uma situação complicada, é difícil você aceitar uma coisa dessa.”

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *