Por Andressa Franco

Imagem: Reprodução Redes Sociais

O muro da casa do candidato a deputado federal pela Bahia, Damázio Santos (PSB), foi pichada na manhã desta terça-feira (20) com a frase racista “fique na senzala”. Popularmente conhecido como Mazo, o candidato é morador do bairro Caseb, em Feira de Santana, e foi alertado pela vizinha.

“Quando panfletei nas sinaleiras, as pessoas me enxergavam nesse lugar e aceitavam. Quando trabalhei no shopping como vendedor, as pessoas me enxergavam nesse lugar e aceitavam. Agora que quero ser Deputado Federal, as pessoas não me enxergam nesse lugar e não aceitam.”, escreveu em um post que mostra a pichação no muro da casa.

Procurado pela Afirmativa, Mazo informou que, como forma de se manifestar, não vai prestar queixa. “Não adianta uma pessoa negra, pobre ir à delegacia, ninguém vai se importar. Se eu fosse rico ou tivesse um pai importante, seria diferente. Não vou registrar Boletim de Ocorrência porque vou ser o caso isolado nº 11.512”.

No último dia 11 de setembro, Mazo relatou em um vídeo em sua conta no Instagram que havia recebido três ligações com ofensas racistas, ouviu também que não deveria entrar para a política. Ele conta que naquele mesmo dia, no caminho para o mercado, um motociclista reduziu a velocidade apenas para lhe dirigir ofensas. O candidato do PSB termina o vídeo pedindo para que o responsável não fizesse mais isso. “A ofensa não foi algo gratuito, foi uma ofensa direcionada (…). É um dia triste”, lamenta.