A PM declarou que os passageiros do ônibus acionaram a polícia após a jovem e seu companheiro tentarem roubar os passageiros do ônibus

Por Patrícia Rosa

Uma mulher trans, de 26 anos, foi agredida com um tapa no rosto por um policial militar no Terminal Integrado João Bezerra, na  Zona Sul de Recife (PE). A agressão aconteceu quando a vítima descia de um ônibus para pedir ajuda aos agentes de segurança, depois de sofrer  transfobia por parte de passageiros do transporte público onde estava com o companheiro.

O caso aconteceu no dia 29 janeiro, e foi registrada em um vídeo que circula nas redes sociais.  A mulher, que não teve a identidade revelada, relatou ao Jornal Folha de Pernambuco, que os outros passageiros  do coletivo a xingaram junto com o companheiro. Segundo ela, três homens  que estavam no fundo do ônibus avançaram para cima do casal, na tentativa de agressão física e foram impedidos por mulheres que estavam no local.

Em seguida a vítima desceu do ônibus para buscar proteção  policial. “Foi na hora que apontei para trás para ele ver o grupo. Me identifiquei como professora, foi na hora que ele deu o tapa”, declarou a vítima.

Versão da Polícia

A Polícia Militar de Recife  se pronunciou por nota  a Folha de Pernambuco e contrapôs a versão da jovem, colocando o casal como suspeito de tentar roubar o ônibus. A polícia tentou “justificar” o tapa no rosto como sendo uma tentativa de conter a jovem  de uma possível agressão. 

O caso foi registrado na Central de Plantões da Capital, a professora foi ouvida e liberada. De acordo com a versão da polícia, a Corregedoria instaurou procedimentos para  apurar a ação dos PMs envolvidos no caso.