Primeira professora negra eleita para direção da Faculdade de Educação da UFBA toma posse

Nomeação foi celebrada, mas também foi questionada a demora para uma mulher negra ocupar o cargo no estado mais negro do país

Nomeação foi celebrada, mas também foi questionada a demora para uma mulher negra ocupar o cargo no estado mais negro do país

Por Andressa Franco

Imagem: Reprodução Academo

A professora Nanci Helena Rebouças Franco tomou posse da direção da Faculdade de Educação (FACED) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) no último dia 27 de fevereiro, tornando-se a primeira mulher negra a ocupar o cargo. A professora foi eleita para assumir o mandato de fevereiro de 2024 a 2028, tendo como vice a doutora em educação e professora da FACED, Maria Izabel Souza Ribeiro. 

A cerimônia foi realizada na Reitoria da universidade, contando com a presença de professores, ex diretores da FACED, movimento negro, sindicatos e outros representantes da Educação. A votação que elegeu a chapa aconteceu no campus da universidade, entre os dias 7 e 8 de novembro de 2023.

Em seu discurso, a professora Nanci destacou o compromisso da FACED na defesa da educação pública, gratuita e de qualidade, socialmente referenciada e solidária, que respeite a diversidade cultural, de classe, étnico racial, de gênero, de orientação sexual do seu povo, proporcionando um ambiente vivo e de permanente diálogo com a sociedade.

A professora possui Licenciatura e Bacharelado em Ciências Sociais pela UFBA, Mestrado e Doutorado em Educação pela mesma instituição, e cursou Pós Doutorado em Sociologia da Educação pela Universidade do Minho, Portugal. A nova diretora da FACED também coordena o Grupo de Estudos e Pesquisa ERÊ –Relações Étnico-Raciais na Educação Infantil. Além disso, tem experiência atuando principalmente nos seguintes temas: Formação de Professores, Relações Raciais e Políticas Públicas, Relações Étnico-Raciais na Educação Infantil, Identidade Étnico-Racial.

Imagem: Reprodução Apub

Primeira mulher negra no estado mais negro do país 

O Sindicato dos Professores das Instituições Federais de Ensino Superior da Bahia (Apub Sindicato) saudou a nova diretoria e desejou um mandato de “grande sabedoria e muitas conquistas.”

Já o Instituto Luiz Gama ressaltou em suas redes sociais que se trata de um acontecimento histórico, que deve ser comemorado. Porém, também revela um “sintoma do racismo estrutural”, considerando que a Bahia tem mais de 80% da sua população autodeclarada negra, segundo IBGE de 2022, maior percentual entre todos os estados brasileiros.

A avaliação foi compartilhada por diversas pessoas, que reagiram à posse da professora nas rede sociais. 

“Triste saber que ainda precisamos enaltecer as exceções no estado com maior índice da população negra no país! Que seja regra algum dia! Migalhas, basta! Caminhos iluminados e sucesso para a educadora Nanci”, escreveu um usuário da rede Threads.

“É estranho que em tantos anos não existiram docentes negras com capacidade intelectual para exercer a direção ou no estado mais africano do Brasil os negros estejam colocados em segundo plano????”, questionou outro.

De acordo com dados do Relatório Quantitativo sobre a Implementação da Lei 12.990 de 2014 elaborado em 2021 pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), o percentual de negros nomeados para atuar como docentes de universidades públicas após concurso foi de 0,53% entre junho de 2014 e dezembro de 2019. O percentual é 37 vezes menor do que reserva a lei: 20% das vagas.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *