A educadora afirmou que não se importava em ser chamada de homofóbica 

Por Patrícia Rosa

Imagem: Reprodução

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra uma professora da Rede Municipal de ensino, da cidade de Posse (GO), se dirigindo aos alunos do 1º ano do ensino médio do Colégio Municipal Castro Alves de forma LGBTfóbica. A gravação aconteceu durante uma aula, da última quinta-feira (11), Maria Elizete Anjos diz aos estudantes que está dando a sua opinião e que “homem foi feito para a mulher e a mulher para o homem”.

“Dá um tempo para vocês. Espera mais. Você é mulher. Olha no espelho, tira a roupa, você é mulher. E mulher fica com homem. E o que foge disso é impuro”, disse a professora.

Na gravação, a professora ainda disse que não se importa em ser chamada de homofóbica e que os adolescentes  estavam confusos com suas orientações sexuais, por conta dos hormônios. Em contrapartida, a servidora se pronunciou por nota ao portal G1, negando o fato.“Não são verdadeiros os supostos comentários homofóbicos atribuídos a mim”, a educadora ainda declarou, que não quis constranger os alunos: “Ainda que eventualmente possa ter escolhido mal algumas palavras, em momento algum estas se amoldam ao reprovável conceito de homofobia”, declarou Maria Elizete

A Secretaria Municipal de Educação de Posse(GO), se pronunciou através de nota, afirmou que está investigando o caso e que não compactua com manifestações preconceituosas:

“Foi realizada reunião pela direção do colégio na qual participaram a professora, pais e alunos que acompanhados de seus responsáveis legais foram ouvidos. A Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Posse aguarda a ata da reunião para dar andamento às providências cabíveis para resolução do caso de forma imparcial, garantindo a isonomia, preservando a lisura dos procedimentos e o respeito às legislações vigentes”. 

O órgão ainda afirma que a atitude do profissional é isolada, “não devem desabonar o trabalho da equipe do Colégio Municipal Castro Alves.”