O projeto busca ressignificar e refletir o impacto da Cabanagem por meio de uma ficção de fantasia afrofuturista e amazônica futurista

Por Andressa Franco

Com previsão de lançamento para a próxima quinta-feira (16), o projeto Recabanos reconta a “Revolta da Cabanagem” em formato de história em quadrinhos. O movimento foi iniciado em 1835, e teve como principal causa a pobreza extrema que imperava após a independência do Brasil.

A iniciativa é idealizada pelo artista Eber Pirangy e pela apresentadora e produtora Deusa Ísis, e a HQ será disponibilizada gratuitamente através de um link nas redes sociais da Pedra de Fogo Produções. A proposta é de um projeto envolvido em um olhar crítico e futurista sobre a narrativa revolucionária de negros e indígenas apagados pela racismo que impera no Brasil desde a invasão europeia. E é uma das ações da produtora, que tem como proposta agenciar imagem, carreira e agenda dos artistas locais.

Os artistas se articularam para ressignificar e refletir o impacto da Cabanagem por meio de uma ficção de fantasia afrofuturista e amazônica futurista. Disputando memórias, inventando o futuro e ocupando o imaginário nortista. “Nosso foco é resgatar a memória daqueles que lutaram em uma revolução que foi apagada, que colocou o povo preto e indígena em um lugar invisibilizado”, explica Eber Pirangy.

A criação da revista vem ainda com um forte objetivo de fomentar o pensamento crítico acerca das narrativas históricas das insurreições cabanas, levando a percepção de que um contexto de insurgência e revolta persiste ainda presente.

De acordo com a produtora da HQ, Deusa Ísis, a criação da revista em quadrinhos conta a parte fictícia de uma estória que não aconteceu. Mas que segundo os autores, tem o propósito de reconstruir uma imagem sobre o Amazonas e o Pará que de fato reflitam a identidade da população nortista.

“Queremos ter o poder de contar a história de nossos antepassados e construir nossa identidade coletiva com o poder das diversas e múltiplas vozes do povo do norte. O contexto histórico e social de tensões consolidam as revoltas da cabanagem e a nossa movimentação cultural enquanto artistas amazônicos, que é uma forma de manter vivo o espírito revoltoso dos cabanos”, finaliza Pirangy. 

Revolta da Cabanagem

Cabanagem, Cabanada ou Guerra dos Cabanos foi uma revolta ocorrida entre 1835 a 1840 na antiga província do Grão-Pará (atualmente Pará, Amazonas, Amapá, Roraima e Rondônia). Esse movimento teve como causa a extrema pobreza pela qual a região passava e o abandono político após a Independência do Brasil.

Equipe

O projeto Recabanos nasce na fecunda rede de agentes culturais e coletivos artísticos que emergem nas encruzilhadas de Manaus. Os artistas participantes do projeto se articularam para ressignificar e refletir o impacto da Cabanagem, disputando memórias, inventando o futuro e ocupando o imaginário nortista.

A produção do projeto vem sendo construída desde o início da quarentena, em abril de 2020, situação em que se tornou expressiva a necessidade de artistas e agentes culturais locais se unirem buscando a valorização da cena artística manauara, garantindo a devida e justa remuneração para todos os participantes. 

“Recabanos” foi contemplado pelo Programa Cultura Criativa – 2020/Lei Aldir Blanc – Prêmio Encontro das Artes do Governo do Estado do Amazonas, com apoio do Governo Federal – Ministério do Turismo – Secretaria Especial da Cultura, Fundo Nacional de Cultura