Tendo como foco a vida de Abdias Nascimento, Inhotim lança último ato da exposição Museu de Arte Negra

O Instituto Inhotim inaugura no próximo dia 11 de novembro o último Ato do Programa Abdias Nascimento e o Museu de Arte Negra

Texto: Divulgação 

Imagem: Elisa Larkin Nascimento/Acervo IPEAFRO

O Instituto Inhotim inaugura no próximo dia 11 de novembro o último Ato do Programa Abdias Nascimento e o Museu de Arte Negra. Intitulada Quarto Ato – O Quilombismo: Documentos de uma Militância Pan-Africanista, a exposição tem curadoria conjunta com o Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (Ipeafro) na Galeria Mata. O Inhotim fica localizado em Brumadinho (MG) e é considerado o maior museu a céu aberto do mundo.

Além do novo ato, o Inhotim promove a encenação da versão adaptada da peça Sortilégio – Mistério Negro, de Abdias Nascimento, nos dias 11 e 12/11, além da obra Giro (2023), da artista Luana Vitra, na Galeria Marcenaria.
 

Quarto Ato – O Quilombismo: Documentos de uma Militância Pan-Africanista

Inhotim e Ipeafro iniciaram uma parceria inédita em 2020 e inauguraram em dezembro de 2021 a primeira exposição dentro do Programa Abdias Nascimento e o Museu de Arte Negra. O Quarto Ato traça um panorama da vida de Abdias Nascimento (1914-2011), tendo como eixo Xangô, orixá da justiça, presença forte no pensamento, no discurso e nas pinturas do artista.

Dividida em oito núcleos, a exposição percorre as múltiplas realizações do poeta, dramaturgo, ator, escritor, artista e político Abdias Nascimento. Sob a perspectiva da resistência e criatividade quilombista, ele inaugurou novas lógicas de produção, cultura e vida, para além de seu tempo.

“O quarto ato, que se dedica ao Quilombismo, conceito que permeia a vida, a obra e a prática desse artista e intelectual, é o fechamento desse projeto que reverencia todo um legado. Ao longo desses três anos da presença de Abdias no Inhotim, observamos suas ideias extravasarem para outras mostras, para a estrutura da instituição”, explica Douglas de Freitas, Curador Coordenador do Inhotim.

O ciclo de exposições Abdias Nascimento e o Museu de Arte Negra ressalta a perenidade da trajetória de Abdias, trilhada no ativismo e no combate ao racismo. “Nesta parceria, avançamos nas discussões sobre as questões relacionadas à presença do povo preto nos museus. Ainda que o trajeto seja longo e os desafios constantes, hoje podemos afirmar que Inhotim caminha em direção a construir um espaço mais amigável à pessoa negra, resultado das iniciativas a partir da presença do legado de Abdias Nascimento no museu”, afirma Julio Menezes Silva do Ipeafro, jornalista, pesquisador e co-curador da mostra.

Abdias Nascimento, Teogonia Afro-Brasileira n. 2: Iansã, Obatalá, Oxum, Oxóssi, Yemanjá, Ogum, Ossaim, Xangô, Exu. Acrílica sobre tela, 102 x 152 cm. Búfalo, EUA, 1972. Coleção Museu de Arte Negra/IPEAFRO/divulgação

“Ao idealizar o Museu de Arte Negra a partir de 1950, Abdias Nascimento e seus companheiros vislumbravam a transformação do conceito de museu. Em oposição à instituição excludente e inerte do etnocentrismo europeu, eles propunham valorizar a pessoa e a arte dos excluídos, e que estes tomassem as rédeas e definissem seus rumos, para interagir em pé de igualdade na construção de espaços vivos e dinâmicos”, relata Elisa Larkin Nascimento, diretora do Ipeafro e co-curadora da mostra.

A exposição tem o Patrocínio Master do Itaú e o Patrocínio Prata da Petrobras por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Pela Petrobras, o projeto foi contemplado na Chamada Petrobras Cultural Múltiplas Expressões 2022.

Sortilégio – Mistério Negro 

Integrando o Programa Abdias Nascimento e o Museu de Arte Negra, uma adaptação da peça escrita pelo artista, Sortilégio – Mistério Negro será encenada no Inhotim, sob a direção de Adyr Assumpção. A peça foi originalmente apresentada pelo Teatro Experimental do Negro (TEN), outra iniciativa encabeçada por Abdias, e hoje é considerada um clássico do teatro negro brasileiro.

No enredo da adaptação, um grupo de artistas encenam o trágico destino de Emanuel, um ser em conflito com suas origens. Entre os destaques do roteiro, estão as forças femininas ganhando a importância de protagonistas na transformação do personagem.

SERVIÇO

Quarto Ato – O Quilombismo: Documentos de uma Militância Pan-Africanista, na Galeria Mata
Data: a partir de 11 de novembro

Horários de visitação: de quarta-feira a sexta-feira, das 9h30 às 16h30, e aos sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30.

Entrada: R$50,00 inteira (meia-entrada válida para estudantes identificados, maiores de 60 anos e parceiros). Crianças de até cinco anos, moradores do Inhotim cadastrados no programa Nosso Inhotim e Amigos do Inhotim não pagam entrada.

Entrada gratuita: Quarta-gratuita Inhotim (todas as quartas-feiras são gratuitas) e Domingo Gratuito Inhotim + B3 (último domingo do mês)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *