O humorista já criticou Bolsonaro diversas vezes e com frequência publica vídeos onde fala de política e de racismo

Por Andressa Franco

Imagem: Reprodução Redes Sociais

Na noite da última quarta-feira (26), o humorista Yuri Marçal publicou um vídeo em suas redes sociais para explicar o motivo de ter retirado um de seus últimos vídeos do ar. Intitulado “Vira voto”, o vídeo de 40 minutos mostrava Yuri falando sobre o segundo turno.

O ator, que trabalha com comédia há seis anos, já criticou diversas vezes o atual presidente Jair Bolsonaro. E com frequência publica em suas redes sociais trechos dos seus shows onde fala de política e também de racismo.

No post, ele afirma já estar acostumado com xingamentos e ameaças, e “normalizou” isso. Mas que, depois da publicação do vídeo “Vira voto”, além de dezenas de mensagens sobre votos virados, também recebeu ameaças, dessa vez acompanhadas pela placa do carro da sua noiva, a atriz Jennifer Dias.

“Aí é complicado porque envolve outra pessoa que não eu. Se eu recebo ameaça eu me viro e bora lidar com essas consequências. Mas eu não quero que ninguém, principalmente pessoas que eu amo, sejam prejudicadas por uma coisa que eu tenha falado.”, desabafa o humorista, que informou ainda ter arquivado outros vídeos mais curtos em suas redes sociais a respeito de política. “Não quero ser mártir de nada, não tenho peito de aço. A gente tem que se proteger.”

Yuri acrescentou ainda que já está amparado juridicamente e em relação à segurança, e que a noiva estava bem. Na madrugada desta quinta-feira (27), a atriz também se manifestou em suas redes sociais, afirmando estar segura e tomando todas as medidas legais cabíveis.

“Um grande susto e uma tristeza ter que lidar com isso… Pensar que a gente ‘não pode’ se expressar. Mas fé que está acabando, e que domingo venceremos!”, escreveu.

“Agora é assim”

Ativista da causa racial, Yuri é um dos articuladores do movimento “Agora vai ser assim” e esteve nos protestos que pediam a expulsão da moradora Elisabeth Morrone, que fez ataque racista ao também humorista Edyy Junior. A manifestação reuniu cerca de cem pessoas na noite da última quinta-feira (20) em frente ao condomínio United Home & Work, no bairro da Barra Funda, em São Paulo.

Eddy gravou o momento em que Morrone o chamou de “macaco” e “imundo”, se recusando a entrar com ele em um elevador no prédio no dia 18 de outubro. Imagens de câmera ainda mostraram o filho da moradora à frente da porta do seu apartamento, o ameaçando com uma faca.

“Agora vai ser assim! Em resposta contínua a todo c4os produzido e mantido por vocês, que atentam contra nossas vidas e o bem estar da nossa comunidade, agora vai ser assim.”, diz um trecho do comunicado publicado nas redes sociais de Marçal. “[…] Acabou. Rasgaremos as notas de repúdio. Vocês, agentes da nossa desgraça, receberão todo nosso 0d!0 e não terão mais paz. Agora é assim. Nós, homens negros organizados, nos organizaremos com nosso povo e estaremos em todo canto, para proteger nossa comunidade da covardia de vocês.”