O evento conta com uma programação gratuita de filmes, masterclasses, ciclos de rodas de conversa e instalações com experiências imersivas e VR

Texto e imagem: Divulgação

Dos dias 02 a 11 de dezembro, o 1º Festival de Cinema e Cultura Indígena (FeCCI) leva ao Cine Brasília uma programação gratuita de filmes, masterclasses, ciclos de rodas de conversa e instalações com experiências imersivas e VR. O evento conta com atividades presenciais e online.

Em sua primeira edição, o Festival foca nas histórias de coletivos e realizadores de origem indígena, com objetivo de promover, fortalecer e difundir as variadas culturas e cinemas dos mais de 305 povos indígenas do país. Além disso, o evento traz uma programação de longa-metragens de temática indígena e ambiental que marcaram o cinema brasileiro.

Para refletir sobre o cuidado e a regeneração do meio ambiente como elementos éticos da relação com o espaço em que vivemos, o tema do FeCCI este ano é: “Como você cuida da sua aldeia?”.

O festival já começou

As atividades do festival começaram em agosto, quando foi realizado o FeCCI Lab, laboratório de projetos audiovisuais. Nele, foram selecionados três curta-metragens para serem desenvolvidos: ‘Afluências’, dirigido por Iasmin Soares, ‘Terra Sem Pecado – Transversal’, dirigido por Marcelo Cuhexê Krahô e ‘Orê Payayá’, dirigido por Edilene Payayá, Sarah Goes da Silva e Alejandro Zywica. Em outubro, os autores dos projetos selecionados participaram de quatro dias de mentoria em Brasília, com representantes da Associação Cultural de Realizadores Indígenas (ASCURI), para finalizar seus curtas, que serão exibidos no festival.

O FeCCI também realizou, nos dias 17 e 18 de setembro, a primeira mostra de filmes do Alto Xingu, na aldeia Ipatse dos Kuikuro: a Mostra Xingy. O evento contou com um público de 400 pessoas, dos povos Kuikuro, Kalapalo e Wauja. Além da exibição de filmes, foi construída uma Casa de Cinema permanente e celebrou-se diversas festas e rituais tradicionais xinguanos.

Mostra competitiva

O festival vai promover ainda mostra competitiva. A curadoria do festival selecionou dez filmes de realizadores indígenas para concorrer à Premiação Oficial do FeCCi 2022, com o propósito de incentivar a produção cinematográfica indígena e contribuir para a visibilidade e o reconhecimento de profissionais do audiovisual. As categorias da mostra são: Melhor Filme pelo Júri Especializado e Melhor Filme pelo Júri Popular. Os selecionados concorrerão também ao Prêmio Instituto Alok nas categorias: Melhor Roteiro, Melhor Direção e Melhor Fotografia.

A primeira edição do Festival de Cinema e Cultura Indígena (FeCCI) é realizada com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC-DF), da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (SECEC-DF). O FeCCI é realizado e produzido pela produtora A Terrestre, bem como pela Bidou Pictures Brasil e Instituto da Família do Alto Xingu. O evento também conta com o apoio de Mídia Índia, Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Instituto Alok, O2 Filmes, Associação Cultural de Realizadores Indígenas (ASCURI), Prefeitura de Querência (MT) e Secretaria de Cultura do Mato Grosso.

Para acessar a programação completa, clique aqui.