4ª edição Semana do Audiovisual Negro abre inscrições para realizadores negros e indígenas de todo o país

Esse ano, a SAN será realizada em Pernambuco. As inscrições vão até o dia 16 de dezembro, e o resultado da curadoria será divulgado em fevereiro de 2024.

Texto: Divulgação

Imagem: Larissa Batista

Realizadores negros, indígenas, amarelos e de comunidades tradicionais do audiovisual de todo o país poderão participar da programação da 4ª Semana do Audiovisual Negro (SAN), que acontece em março de 2024, em Pernambuco. Nesta edição, o festival acontece nas cidades de Recife, Camaragibe e Afogados da Ingazeira.

As inscrições estão abertas até o dia 16 de dezembro, e podem ser inscritos curtas, médias e longas-metragens, videoartes, obras instalativas, intervenções visuais e demais obras no formato audiovisual. Os produtos precisam datar a partir de 2021 e cada participante pode enviar quantos filmes quiser, desde que seja feita uma inscrição para cada produção. Também é preciso que estejam listados de forma privada no Youtube, Vimeo ou Google Drive e habilitados para download. As inscrições podem ser feitas através deste link. O resultado da curadoria será divulgado no mês de fevereiro.

Com tema livre, os realizadores podem mandar suas produções em quaisquer temas e nos mais diversos formatos. “É importante pra gente, enquanto curador e curadora, termos noção do que tá sendo produzido pelos realizadores e realizadoras. Eu acredito que não deve ter nenhum tipo de inibição à Semana do Audiovisual Negro, é um espaço de diversidade, encontro, confluências de quem está pensando e fazendo audiovisual negro”, defende Kalor Pacheco, uma das curadoras do evento.

A Semana do Audiovisual Negro é uma realização do Cineclube Alma no Olho, com produção da Pajeu filmes e Tarrafa Produtora e incentivo do Funcultura Audiovisual. O festival vem se consolidando como um evento anual em Pernambuco para reunir trabalhos do campo audiovisual realizados por profissionais negros e indígenas de todo o Brasil. O projeto inclui mostra de cinema, exposição de vídeos, além de atividades de formação e mercado, com oficinas, palestras e debates visando estimular uma renovação da cadeia produtiva local.

A quarta edição traz novos formatos de exibição e interação do público com as produções. “Uma vez que a gente tem o recorte de raça dentro do evento, é interessante que a formatação, a linguagem, as ferramentas utilizadas sejam as mais amplas possíveis”, comenta Gustavo Ratis, que também faz parte da curadoria da SAN. Além das exibições nas salas de cinemas, essa edição pretende criar espaços de exibições diversos com formatos como videoarte, metaverso e outras obras.

A primeira edição da SAN aconteceu em 2019 no recém-inaugurado Cinema da UFPE. A segunda aconteceu em 2021 no formato online, respeitando as restrições sanitárias e sociais impostas pela Pandemia da Covid-19. E a terceira aconteceu em 2022, de forma presencial e ocupando novamente o Cinema da UFPE e outros equipamentos culturais que são marcas do Recife: o Cinema São Luiz e o Teatro do Parque. Além também do Museu da Abolição, Centro Cultural Bongar, em Olinda, e o Cine São José, à época recém-reformado e reaberto em Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *