Nikolas Ferreira é condenado em segunda instância e vai ter de pagar indenização de  R$ 30 mil reais por transfobia contra Duda Salabert

Nikolas tem um histórico de transfobia, ele reagiu a sentença e afirmou que sabia que esse dia iria chegar

Nikolas tem um histórico de transfobia, ele reagiu a sentença e afirmou que sabia que esse dia iria chegar

Por Patrícia Rosa

Imagem: Reprodução Redes Sociais

O deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG), foi condenado em segunda instância pelo crime de transfobia contra  a colega Duda Salabert (PDT). A sentença determinou que Nikolas deverá pagar a indenização de R$30 mil reais à deputada. A decisão foi firmada na última terça-feira (5), pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

A deputada reagiu nas suas redes sociais, ao resultado da sentença. “Nikolas Ferreira foi condenado novamente por transfobia! Estou aguardando o pix na minha conta. Se não aprendeu em casa, na escola ou na igreja, aprenderá na justiça a respeitar as travestis. Nikolas não foi condenado por errar o pronome. Ele foi condenado por praticar transfobia contra mim e contra a comunidade de travestis e transexuais”, escreveu a parlamentar. 

Duda Salabert, entrou com a notícia crime contra Nikolas Ferreira em 2020, quando ambos ainda eram vereadores de Belo Horizonte. O deputado se referiu a então vereadora com o pronome masculino, durante entrevista ao jornal Estado de Minas. “Eu ainda irei chamá-la de ‘ele’. Ele é homem. É isso o que está na certidão dele, independentemente do que ele acha que é”, afirmou o parlamentar a epoca.

Histórico de transfobia

A  transfobia e a homofobia são crimes equiparados ao crime de racismo, com pena prevista de um a três meses de prisão, além de multa. Nikolas Ferreira tem um vasto histórico de transfobia.  Em março deste ano, a deputada federal Erika Hilton (Psol-SP), iniciou um abaixo assinado pedindo a cassação do deputado. Na ocasião, ele colocou uma peruca loira e se apresentou como Nikole, proferindo comentários transfóbicos na sessão.

Hilton  apresentou notícia-crime contra o deputado no Supremo Tribunal Federal (STF), juntamente com parlamentares de outros partidos e lideranças políticas que também denunciaram o deputado no Conselho de Ética da Câmara.

Em setembro deste ano, Nikolas virou réu, por expor uma adolescente trans de 14 anos nas redes sociais, ele criticou o fato da garota usar um banheiro feminino em uma escola particular, de Belo Horizonte. 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *