Somente na última semna, pelo menos três mulheres foram mortas pelos seus ex-companheiros

Por Patrícia Rosa

Ilustração: Carolina Itzá

A Bahia registrou  32 casos de feminicídio entre  1º de janeiro e  15 de maio de 2023,  de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública da Bahia. A absurda estatística só aumenta. Na última sexta-feira (26) o corpo de uma mulher, de 27 anos, identificada como Carla dos Santos Nunes, foi encontrado com marcas de tiros no bairro do IAPI, em Salvador (BA). 

O suspeito do crime é o ex-namorado, Adelson dos Santos Oliveira, que foi preso na madrugada desta segunda-feira (29). No dia do ocorrido a polícia foi acionada e o caso está sendo investigado pela 3ª Delegacia de Homicídios Baía de Todos-os-Santos (DH/BTS).De acordo com informações da Polícia Civil,  já existe indicativo da autoria do crime.

O corpo de Adriele de Almeida Cardoso, de 36 anos, foi enterrado no último sábado (27). A vendedora foi mais uma vítima de feminicídio. O autor também foi o ex-namorado, Lúcio Silvestre Monteiros, de 37 anos. A mulher foi sequestrada por Lúcio na quinta-feira (25). Os corpos dos dois foram encontrados dentro de um carro. A suspeita do crime é de feminicídio seguido por suicídio.

Amigos de Lúcio relataram para a TV Bahia  que o relacionamento do casal durou cerca de três anos, eles haviam terminado há cerca de dois meses. O caso está sob investigação do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP)

Outra vítima de feminicídio foi Natalina dos Santos, de 37 anos, que foi morta na manhã da última quinta-feira (25). A mulher teve a casa invadida pelo ex-companheiro, que a matou com golpes de faca. O delegado  Ademar Tanner, da 3ª Delegacia de Homicídios (DH/BTS), declarou que o homem chegou a atacar o genro da vítima e que ele já tem passagem na polícia pelo crime de feminicídio, cometido na cidade de Piraí do Norte em 2014. Ele ficou detido por oito anos.  O autor do crime, de 29 anos, confessou o crime contra Natalina e foi preso.